Tony Gentile/Reuters
Tony Gentile/Reuters

Crítica elege Clooney e Freeman como melhores atores do ano

Associação de críticos americanos premiou veteranos por interpretações em 'Amor Sem Escalas' e 'Invictus'

Efe,

04 de dezembro de 2009 | 15h32

Os atores americanos George Clooney e Morgan Freeman foram eleitos os melhores atores de 2009 para pela National Board of Review (NBR), a associação de críticos de cinema dos EUA, conforme anunciou nesta sexta-feira, 4, a entidade.

 

A associação optou por dividir o prêmio de melhor ator entre Freeman e Clooney por suas respectivas interpretações do líder sul-africano Nelson Mandela em Invictus e de um executivo solitário em Amor Sem Escalas.

 

O NBR também agraciou Clint Eastwood como melhor diretor por Invictus. Já Amor Sem Escalas, do canadense Jason Reitman (de Juno) foi escolhido pelos críticos americanos como o melhor filme do ano.

 

"2009 foi um ano no qual as vozes e as visões dos cineastas foram inovadoras, apaixonantes e ecléticas", disse em comunicado a presidente da NBR, Annie Schulhof, que se disse "encantada" ao premiar o filme de Reitman, a qual definiu como "comovente".

 

Amor Sem Limites foi o filme que mais recebeu prêmios da associação de críticos, levando também a melhor nas categorias de melhor roteiro adaptado e de melhor atriz coadjuvante com Anna Kendrick.

 

Os críticos americanos também destacaram a produção chilena La Nana, dirigida por Sebastián Silva e protagonizada por Catalina Saavedra, como uma das cinco melhores do ano em língua estrangeira, mas a vencedora nesta categoria foi A Prophet, do francês Jacques Audiard.

 

De acordo com a associação, os dez melhores filmes do ano foram An Education, de Lone Scherfig; 500 Dias com Ela, de Marc Webb; Guerra ao Terror, de Kathryn Bigelow; Bastardos Inglórios, de Quentin Tarantino; Invictus, de Clint Eastwood; e The Messenger, de Oren Moverman.

 

Completam essa lista Um Homem Sério, dos irmãos Ethan e Joel Coen, que ficaram com o prêmio de melhor roteiro original por este filme; Jornada nas Estrelas 11, de J.J. Abrams; Onde Vivem os Monstros, de Spike Jonze, e Up - Altas Aventuras, que também foi premiado como melhor filme de animação.

 

O prêmio de melhor atriz do ano foi para a britânica Carey Mulligan por seu papel em An Education, enquanto o de atriz revelação ficou com a estreante Gabourey Sibide por sua interpretação na fita independente Precious.

 

O melhor ator coadjuvante para a NBR foi Woody Harrelson, por The Messenger, enquanto Jeremy Renner foi escolhido como ator revelação por sua atuação em Guerra ao Terror.

 

Os críticos americanos, que entregarão seus prêmios em 12 de janeiro em uma cerimônia de gala Nova York, elegeram como melhor elenco o do filme It's Complicated, de Nancy Meyers, estrelado por nomes como Meryl Streep, Alec Baldwin e Steve Martin. O melhor documentário para a NBR foi The Cove, de Louie Psihoyos, sobre a matança de golfinhos no Japão.

 

A associação também reconheceu o trabalho dos diretores estreantes Duncan Jones, Oren Moverman e Marc Webb, assim como o do renomado Wes Anderson, quem ganhou um prêmio especial por O Fantástico Sr. Raposo.

 

A premiação da NBR, que chegou ao seu primeiro centenário neste ano, abre a temporada de prêmios do cinema americano, cujo ponto máximo é a cerimônia do Oscar, em março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.