"Crime do Padre Amaro"gera protestos

Nem Eça de Queiroz imaginaria que mais de um século depois de ser publicado, O Crime do Padre Amaro, romance escrito por ele, ainda causaria tantos protestos. A obra, adaptada para o cinema pelo mexicano Carlos Carrera, foi alvo de protestos por militantes e ativistas católicos no México, e, nesta semana, gerou irritação também em Los Angeles. Mais de 50 pessoas, a maioria da Sociedade Americana de Defesa da Tradição, Família e Propriedade, protestaram na frente do cinema onde o filme está sendo exibido. O longa narra a paixão de uma padre de aldeia por uma jovem de 16 anos. Em uma cena, ele envolve o corpo nu da menina em um manto da Virgem Maria. O filme estréia em janeiro no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.