Criadores de "South Park" chocam com novo filme

Os criadores da polêmica animação South Park, Trey Parker e Matt Stone, conseguem fazer o espectador rir e torcer o nariz em seu novo filme, Team America: World Police (Time da América: Polícia Mundial), que quase foi censurado para menores de dezessete anos por causa de uma cena de sexo explícito entre duas marionetes. Exatamente. O filme, inspirado no programa de ficção científica de Thunderbirds, é estrelado por marionetes. Parker e Stone, que se divertem testando os limites entre comédia e bom senso, emprestaram o formato do clássico seriado para satirizar a guerra do Iraque e filmes de Hollywood como Con Air e Armageddon.O filme, que acaba de estrear nos Estados Unidos, mostra um esquadrão de fantoches heróis que lutam contra terroristas, não importando se eles reduzam Paris e Cairo a ruínas durante o processo. Eles recrutam um ator da Broadway, Gary, como um agente disfarçado. A missão dos heróis é impedir o ditador da Coréia do Norte, Kim Jong-Il, de destruir o mundo. Parker e Stone fizeram marionetes do presidente dos Estados Unidos, Bush, e do candidato democrata à presidência, John Kerry, mas acabaram eliminando os personagens da história, dizendo que não queriam que ela fosse diretamente política. Os criadores do filme não acreditam que têm algo a mais para adicionar ao discurso político. "A única coisa de que tenho certeza é de que é bom para todos nos odiar (americanos) e pensar que somos idiotas, mas há uma grande diferença entre idiotas e loucos", como Osama Bin Laden, disse Parker.Partes do corpo não faziam parte da cena de sexo entre as marionetes, havia apenas uma rede de juntas e articulações que se moviam desajeitadamente. Depois de a cena ser cortada, o filme recebeu censura "R", nos Estados Unidos, que significa que menores de 17 anos precisam estar acompanhados dos pais ou de um responsável. "É tão engraçada", disse Stone sobre a cena. "A cena por si só é tão engraçada e inócua. Não é maldosa. É o que as crianças fazem. Nós todos fizemos isso com nossos bonecos quando estávamos crescendo", completou. O filme, que é bastante ofensivo, tenta dividir a população mundial em três grupos: bobos, representado por astros de Hollywood, como Tim Robbins e Michael Moore; idiotas, os nacionalistas da equipe da polícia mundial; e loucos, os terroristas, os ditadores e os criminosos. No geral, o filme quer provocar as pessoas, não apenas quanto à política. "Isso é muito mais interessante que ´olha, isso é o pensamos", disse Stone.A briga de Parker e Stone com Michael Moore está relacionada à entrevista que deram ao cineasta para o filme Tiros em Columbine. Stone diz que Moore não distorceu o depoimento que ele deu, mas o que o incomodou foi o fato de, logo após a fala dos dois, Michael Moore ter inserido uma animação. Para eles, o desenho sobre a relação dos americanos com armas de fogo foi feito ao estilo de South Park. "Fica a impressão de que nós fizemos o desenho", reclama Stone. Por isso, o cineasta foi caracterizado como um gordo comilão no filme. Cruel? Mas os criadores do crítico desenho sobre a sociedade norte-americana gostam de chocar seus espectadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.