Divulgação
Divulgação

Corretor da bolsa pede indenização a produtores de 'O Lobo de Wall Street'

Ex-funcionário retratado no longa diz que não consegue arranjar emprego e quer filme fora do cinema, além de indenização de US$ 25 milhões

EFE

27 de fevereiro de 2014 | 16h58

Um antigo empregado da empresa da bolsa Stratton Oakmont, dirigida por Jordan Belfort e retratada em O Lobo de Wall Street, pede US$ 25 milhões aos produtores e distribuidores do filme de Martin Scorsese. Em entrevista ao canal norte-americano CNBC, Andre Greene, que serviu de inspiração para o personagem de P. J. Byrne, afirmou que é retratado de forma injusta como um viciado em drogas delinquente e degenerado. Greene alega que tem tido problemas para encontrar emprego porque é visto como o personagem do filme e quer que ele seja retirado de circuito.

Estrelado por Leonardo DiCaprio, o longa de Scorsese conta a história real de Belfort, que abriu caminho por Wall Street por meios ilegais e criou sua própria empresa. No total, concorre a cinco prêmios no Oscar 2014.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Prêmio Oscar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.