Warner Bros. Entertainment Inc.
Warner Bros. Entertainment Inc.

Confira os melhores filmes do universo de Stephen King

Dos clássicos aos menos conhecidos, conheça mais obras de um dos maiores autores do terror

Luiz Carlos Merten, Especial para o Estadão

15 de fevereiro de 2022 | 05h00

Ele, certamente, não é uma unanimidade, mas se Stephen King for avaliado em números, pelos livros que vendeu, então existem poucos que podem ser comparados a ele. Seus livros venderam pelo menos 400 milhões de cópias, muitos viraram filmes e também renderam milhões (de dólares). O homem é uma fábrica de fazer dinheiro. Seu nome virou sinônimo de terror, como poderia ser de ficção sobrenatural, científica, suspense e fantasia. É o nono autor mais traduzido do mundo.  

A seguir, uma viagem pelos livros/filmes que constribuíram para estabelecer o mito de Stephen como King/rei do terror:

O Iluminado 

Jack Torrance isola-se com a mulher e o filho no Overlook Hotel. A função como caseiro é fachada para sua tentativa de romper o bloqueio criativo como escritor. Os corredores do hotel – e o jardim em forma de labirinto – somente contribuem parta desestabilizá-lo ainda mais. A chave do filme é o garoto. Atenção! Tudo o que Stanley Kubrick acrescentou à história foi para torná-la melhor. E o filme tem o tema do grande diretor - a destruição da palavra como elemento agregador das pessoas. Stephen King não gostou do filme e fez a sua versão, fraquinha, por final. Disponível na HBO Max.

Carrie a Estranha 

Outra história forte que foi muito bem filmada. A garota que sofre bullying na escola e em casa – a mãe é uma fanática religiosa – descobre ter poderes telecinéticos e os utiliza para se vingar, promovendo um banho de sangue. A versão de 1976, de Brian De Palma, é melhor do que a de Kimberly Peirce, de 2013. Um grande papel para Sissy Spacek e aquele twist final no cemitério. A versão de 2013 está disponível na Amazon Prime Video.

Um Sonho de Liberdade 

Para muita gente, esta história atípica é a melhor novela de Stephen King e o melhor filme adaptado de seus textos. Tim Robbins mata a mulher e o amante dela e vai para a penitenciária, onde Morgan Freeman o toma sob sua proteção. A história original, Rita Hayworth and the Shawshank Redemption, foi publicada na coleção DifferentSeasons. A direção de Frank Darabont, o elenco. Você nunca mais esquecerá Forest Whitaker como Brooks Hatlen. Mas, apesar do culto, o filme foi um raro fracasso de bilheteria no lançamento. Disponível na Nettflix.

It, a Coisa 

O palhaço que irrompe da imaginação de um grupo de crianças e as atormenta, além de promover um banho de sangue. A versão de 1990, de Tommy Lee Wallace, tinha suas qualidades, mas a de 2017, do argentino Andy Muschietti, é muito melhor. Assustador é pouco. Seus nervos ficarão à flor da pele. A versão mais recente está disponível na HBO Max.

Conta Comigo 

Outra história atípica de Stephen King, outro grupo de crianças. O rito de passagem dos garotos que tentam localizar cadáver numa floresta. Um filme cultuado de Rob Reiner, narrado em flash-back por Richard Dreyfuss – o próprio Stephen King? – e com aquele elenco jovem. River Phoenix, Corey Feldman, Jerry O’Connell, etc. Um clássico dos anos 1980, disponível no Starz+.

À Espera de Um Milagre 

Tentando repetir o fenômeno A Um Passo da Liberdade, Frank Darabont adaptou outro texto atípico de Stephen King. Brutamontes negro acusado de matar duas crianças aguarda execução da sentença no corredor da morte. Possui poderes sobrenaturais. Michael Clarke Duncan é quem faz o papel, Tom Hanks é o policial que se torna seu amigo (e descobre que ele não matou). Meio longo, mas bom. 

A Torre Negra 

Pistoleiro percorre o mundo em busca de torre mágica que está para desaparecer, e com ela a liberdade e a criatividade. Garoto participa de sua busca. Considerado um dos grandes livros de Stephen King, virou um filme decepcionante de Nikolaj Arcel, com Idris Elba e Matthew McConaughey. Contribui para isso o fato de não ser conclusivo. A ideia era virar uma franquia com o misterioso Pistoleiro. Disponível na Netflix.

Cujo 

O dócil cão São Bernardo de um garoto vira máquina de destruição ao ser mordido por um morcego. Lewis Teague já dirigira Alligator/O Jacaré Assassino. Cria cenas inacreditáveis de tão brutais e violentas. Mas, atenção – o foco está na família e suas dificuldades. Outro clássico dos anos 1980. Disponível na Amazon Prime Video.

Christine, o Carro Assassino

Adolescente compra carro velho – um Plymouth modelo 1958 – para restaurar. Fica obcecado pela máquina, e o que não sabe é que Christine – o nome que dá ao carro – vira extensão de seus desejos e começa a matar. Na era de Encurralado e outros carros assassinos, muito antes de Crash e Titane, o filme é considerado dos melhores de John Carpenter, príncipe do terror. 

Cemitério Maldito 

Outra história de família, e terror. Animais enterrados num cemitério sagrado de indígenas retornam como monstros. Um pai desesperado enterra a própria filha e a garota... Prepare-se. É brutal. A versão antiga, de Mary Lambert, tem seus admiradores. Na mais recente, de Kevin Kolsch e Dennis Widmyer, a violência é mais gráfica, e assustadora. Disponível na Netflix.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.