Confira os filmes que disputam o grande prêmio do Oscar

'Onde Os Fracos Não Têm Vez' e 'Sangue Negro' receberam 8 indicações; 'Desejo e Reparação' também é forte

Teresa Ribeiro, Marina Ramos e Bianca Pinto Lima, do estadao.com.br,

08 Fevereiro 2024 | 19h52

Os filmes que são apontados como favoritos pelos críticos são Onde Os Fracos Não Têm Vez e Sangue Negro, ambos com oito indicações. Outro forte candidato é Desejo e Reparação, com sete indicações, que conquistou o Globo de Ouro do ano.   Veja também: Os indicados ao Oscar 2008 Artistas chegam para a festa Enquetes populares apontam 'Juno' como preferido para Oscar Entre diretores, os irmãos Coen são favoritos ao Oscar Julie Christie é a favorita entre as candidatas ao Oscar Disputa pelo Oscar 2008 de melhor ator promete ser acirrada Cate Blanchett é a favorita entre as atrizes coadjuvantes Confira a lista completa dos indicados ao Oscar 2008    Onde Os Fracos Não Têm Vez   O filme dirigido pelos celebrados Ethan e Joel Cohen conta a história de Llewelyn Moss (Josh Brolin), um veterano do Vietnã que encontra uma mala cheia de dinheiro no meio do deserto e decide levá-la para casa. O que o homem não esperava é que um assassino psicótico (Javier Bardem) começasse a persegui-lo.   O longa baseado no livro de Cormac McCarthy também concorre em outras sete categorias: Fotografia; Ator Coadjuvante, para a interpretação do espanhol Javier Bardem; Direção; Edição; Mixagem de Som; Roteiro Adaptado; e Edição de Som. O filme empatou com Sangue Negro, ambos com o número máximo de indicações: oito cada. Em Onde Os Fracos Não Têm Vez, os irmãos Coen retornam ao cenário de desolação geográfica e da violência de outros filmes seus, como Gosto de Sangue e Fargo.   O filme já havia se destacado em premiações anteriores, que consagraram principalmente a atuação do ator Javier Bardem, indicado ao Oscar de Melhor Ator em 2001, por Antes do Anoitecer. O Sindicato dos Atores dos EUA (SAG) conferiu dois prêmios ao longa: Melhor Elenco e Melhor Ator Coadjuvante para Bardem. A 65ª edição do Globo de Ouro também premiou a atuação do ator espanhol e o roteiro original dos irmãos Coen.     Sangue Negro   Baseado no livro Oil!, publicado em 1927 por Upton Sinclair, o filme mostra a trajetória violenta de Daniel Plainview (Daniel Day-Lewis), um dos pioneiros da indústria do petróleo, no início do século 20. Merece destaque no longa a atuação de Day-Lewis, ator conhecido por seu rígido método de trabalho e sua seletividade: nos últimos dez anos, atuou em apenas quatro filmes.   Além das indicações de Melhor filme e Melhor ator, para Day-Lewis, o filme foi indicado para outras seis categorias: Fotografia, Direção de Arte, Direção, Roteiro Adaptado, Montagem e Edição de Som.   O celebrado diretor Paul Thomas Anderson realiza em Sangue Negro a sua segunda reconstrução de época, a primeira foi em 1997, no filme Boogie Nights - Prazer sem Limites, no qual o diretor traça um panorama do mundo do cinema pornô em seu auge, na década de 1970. Anderson também ganhou destaque por Magnólia, filme lançado em 1999 e que recebeu três indicações ao Oscar.     Desejo e Reparação   O filme britânico Desejo e Reparação, dirigido por Joe Wright (Orgulho e Preconceito), foi o vencedor do Globo de Ouro e do Bafta, o Oscar britânico, como o Melhor Filme do ano. Ficou ainda com o Globo de Ouro de Trilha Sonora, concedido ao compositor Dario Marianelli e o Bafta de Direção de Arte, para Sarah Greenwood (e decoração de set, Katie Spencer).   Baseado no romance homônimo de Ian McEwan, autor de romances aclamados como Amsterdam e A Criança no Tempo, a história se passa na Inglaterra entre 1935 e 1940, e trata de uma adolescente de imaginação fértil, que acusa o filho do caseiro de um crime que ele não cometeu, provocando uma alteração dramática em sua vida e também na de sua irmã mais velha, apaixonada pelo rapaz.   Recebeu sete indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Atriz Coadjuvante (Saoirse Ronan), Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Figurino, Melhor Trilha Sonora e Melhor Roteiro Adaptado.     Juno   O azarão da 80.ª edição do Oscar é Juno, filme do jovem diretor canadense Jason Reitman, conhecido por um único longa-metragem, Obrigado por Fumar.   Juno, que venceu o 2.º Festival de Cinema de Roma, é uma comédia dramática, que conta a história de uma garota que engravida aos 16 anos e decide levar adiante a gravidez, mas, em vez de criar o filho, escolhe doá-lo a um casal. Um dos pontos forte do filme é o roteiro, que também disputa o prêmio, e é assinado por Diablo Cody, pseudônimo de Brooke Busey, tão ou mais novata na área quando o diretor, já que passou de stripper a roteirista de cinema.   Disputa o Oscar nas categorias: Melhor Filme, Melhor Diretor (Jason Reitman), Melhor Atriz (Ellen Page) e Melhor Roteiro Original (Diablo Cody).     Conduta de Risco   Filme de estréia do diretor Tony Gilroy, roteirista da trilogia de thrillers do agente Jason Bourne. O ator George Clooney interpreta Michael Clayton, um advogado especializado em fazer o serviço sujo de um grande escritório de advocacia em Nova York. Quando é chamado para controlar um advogado instável que ameaça um caso milionário de sua firma, Clayton começa a questionar seus princípios éticos.   Pela atuação no filme, considerada pelos críticos como uma das melhores de sua carreira, George Clooney foi indicado ao Oscar de Melhor Ator. O título original, aliás, em nada tem a ver com as palavras "conduta" ou "risco", chama-se apenas Michael Clayton, nome do protagonista interpretado por Clooney.   Conduta de Risco também concorre nas categorias de Ator Coadjuvante, pela atuação de Tom Wilkinson; Atriz Coadjuvante pela interpretação de Tilda Swinton; Direção; Trilha Sonora Original e Roteiro Original.

Mais conteúdo sobre:
filmes Oscar prêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.