Aline Arruda
Aline Arruda

Confira os filmes brasileiros selecionados para concorrer ao Oscar nos últimos dez anos

Representante do País é escolhido anualmente por comissão do Governo

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2019 | 12h28

O filme 'A Vida Invisível', de Karim Aïnouz, foi escolhido nesta terça-feira, 27, para representar o Brasil no Oscar. Caso seja selecionado pela Academia, competirá na categoria de Melhor Filme Estrangeiro na edição de 2020. 

O Caderno 2 listou os filmes indicados pelo Brasil ao Oscar nos últimos 10 anos. Confira:

2010: Salve Geral - O Dia em que São Paulo Parou, de Sérgio Rezende

Lançado em 2009, o filme acompanha a história de Lúcia, uma viúva de classe média que deseja tirar seu filho, Rafael, da prisão. Ela acaba conhecendo Ruiva, advogada do Primeiro Comando da Capital (PCC), e eventualmente passa a participar de atividades criminosas. O filme passa pelos bastidores do Comando, incluindo lutas internas, e chega ao dia em que o Salve Geral aterrorizou a cidade de São Paulo. O filme não foi selecionado pela Academia e, portanto, não concorreu ao oscar de Melhor Filme Estrangeiro. 

2011 - Lula, o Filho do Brasil, de Fábio Barreto, não indicado

A cinebiografia do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva retoma sua história, desde a infância dramática no sertão de Pernambuco, passando pela sua chegada a São Paulo em um pau de arara.

O filme também aborda o trabalho na indústria metalúrgica, as históricas campanhas grevistas dos anos 1970 que marcaram o ABC paulista e a ascensão ao topo do sindicato que o consagrou e impulsionou sua trajetória política. É baseado em Lula, o filho do Brasil, biografia da jornalista Denise Paraná. Também não foi selecionado pela Academia.  

 

2012: Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora É Outro, de José Padilha

Recordista em bilheterias nacionais, Tropa de Elite 2 volta a acompanhar a história do capitão Nascimento (Wagner Moura), agora em guerra contra as milícias e os políticos associados ao crime organizado. Ao mesmo tempo, tenta melhorar o relacionamento com seu filho, um adolescente de 16 anos. Tropa de Elite 2 não chegou a concorrer ao Oscar. 

2013: O Palhaço, de Selton Mello

Além de dirigir o filme, Selton Mello interpreta o protagonista Benjamin, que precisa assumir diversas funções administrativas dentro do circo em que trabalha devido à velhice do pai. A responsabilidade passa a sufocá-lo, já que ele tem que resolver muitos problemas do negócio, mas não tem tempo para resolver os dele. Em crise, Benjamin passa a se questionar se deve seguir com a vida nômade de palhaço, ou abandonar tudo e seguir novos rumos. Embora selecionado pelo Brasil, o filme não concorreu ao Oscar.

2014: O Som ao Redor, de Kleber Mendonça Filho

O filme de Kleber Mendonça Filho constrói um microcosmo para retratar os contrastes da sociedade brasileira. Na história, moradores de um condomínio em Recife lidam com a presença de uma milícia que acaba de chegar ao bairro de classe média. Enquanto alguns são tranquilizados com a presença de uma equipe de segurança privada contratada, outros se sentem ameaçados. O filme conquistou prêmios importantes, mas não concorreu ao Oscar. 

2015: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro

O longa conta a história de Leo (Ghilherme Lobo), um garoto cego e que leva uma vida normal como todos os outros de sua idade. Ele não desgruda de sua melhor amiga, Giovana (Tess Amorim). Tudo vai bem até que Gabriel (Fabio Audi), um novo estudante, entra para a escola, desequilibra a amizade entre os dois e provoca em Leo sensações que ele nunca havia experimentado. O filme também não foi indicado ao prêmio de Melhor Filme Estrangeiro. 

2016: Que Horas Ela Volta?, de Anna Muylaert

No filme, Regina Casé interpreta Val, uma babá que permanece na casa em que trabalhava mesmo depois que o garoto que ela criou já cresceu. Ela é ‘da família’, mas a chegada de sua filha, Jessica, estremece as estruturas da casa. Selecionado para representar o Brasil, o filme não foi escolhido como candidato ao Oscar. 

2017: Um Pequeno Segredo, de David Schürmann

Pequeno Segredo conta a história da adoção de uma menina soropositiva pela família de velejadores Schürmann. O longa é baseado no best-seller homônimo de Heloísa Schürmann e traz, no elenco, Júlia Lemmertz, Marcelo Antony e Mariana V. Goulart como Heloísa, Vilfredo e Kat Schürmann, respectivamente. Não concorreu ao Oscar. 

2018: Bingo: O Rei das Manhãs, de Daniel Rezende 

Vladimir Brichta interpreta um palhaço autodestrutivo,inspirado em Bozo, figura da TV importada dos EUA nos anos 1980. Bozo foi vivido por 12 atores diferentes em dez anos. Um deles foi Arlindo Barreto, no qual o personagem Augusto Mendes, vivido por Brichta, se inspira. O longa discute questões como armadilhas da fama e abuso de drogas. O longa não foi selecionado pela Academia.

2019: O Grande Circo Místico, de Cacá Diegues

Coprodução de Brasil, Portugal e França, O Grande Circo Místico conta a história de cinco gerações de uma família circense. O longa é baseado no poema A Túnica Inconsútil (1938), do escritor alagoano Jorge de Lima. O Grande Circo Místico não concorreu ao Oscar.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Oscar [prêmio de cinema]cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.