Confira o melhor das atrações do Festival do Rio

Internauta que se preze já andanavegando há tempos no site festival, que temmantido o público atualizado em relação a filmes, convidados,debates, seminários e, principalmente, pontos de exibição eforma de adquirir ingressos para o megaevento de cinema quecomeça nesta quinta-feira. A sessão inaugural - um programa duploformado pelo longa "Dália Negra", de Brian De Palma, com JoshHartnett, Scarlett Johansson e Hilary Swank, precedido pelocurta "Tarantino?s Mind", com Selton Mello e Seu Jorge - serápara convidados e o convite exige black-tie, mas, a partir desexta-feira, de bermudas e sandália havaiana será possível aogrande público entregar-se à maratona de selecionar, entre 380títulos, distribuídos entre 23 mostras, aqueles que você vai ver já que todos é humanamente impossível. Algumas sugestões: Panorama Mundial: O novo filme de Pedro Almodóvar é otipo do programa que cinéfilo de carteirinha não vai deixar paraver depois, mesmo que "Volver" já tenha data de distribuição noPaís, pela Fox (10 de novembro), devendo antes passar pelaMostra BR de Cinema, em São Paulo. "Volver" ganhou o prêmiocoletivo de interpretação feminina no Festival de Cannes. Outrasatrações - "The Wind That Shakes the Barley?s", de Ken Loach,que ganhou a Palma de Ouro, em maio: "Babel", de AlejandroGonzález Iñárritu, prêmio de direção, em Cannes; "Flanders", deBruno Dumont, prêmio do júri; "A Good Year", de Ridley Scott; "OLabirinto do Fauno", de Guillermo Del Toro; "A Fonte da Vida",de Darren Aronofsky, que já confirmou presença; "Pequena MissSunshine", de Jonathan Dayton e Valerie Faris, uma espécie de"Família Rodante" da produção independente dos EUA, premiado noFestival de Cinema Americano de Deauville. Foco no Canadá: Como todo ano, o Festival do Rio põe ofoco na produção de um país e, este ano, o escolhido foi oCanadá. Numa mostra intitulada De Perto Ninguém É Normal, odestaque promete ser "Loucos de Amor", candidato a cult deJean-Marie Vallée. No original, chama-se "C.R.A.Z.Y." e conta ahistória dessa família de cinco filhos, cujos nomes têm iniciaisque formam a palavra do título (louco). Não é exatamente umafamília tradicional - há o estudioso, o atleta, o drogado, ohomossexual. "C.R.A.Z.Y." promete. Première latina: Além da Première Brasil, vitrine damelhor produção brasileira, o Festival do Rio abriga a PremièreLatina, com as novidades mais importantes do cinema produzido naAmérica Latina. Um dos títulos anunciados é "Crônica de UmaFuga", do argentino Adrián Caetano, que concorreu em Cannes. Novas imagens do Irã: Quem se acostumou às mulheresoprimidas pelos fundamentalistas, eternamente cobertas com oxador, vai ter um choque assistindo à comédia "Nariz à Iraniana" de Mehrdad Oskuei, que mostra uma nova etapa da sociedade doIrã, na qual as mulheres se preocupam com o corpo (e com onariz), exatamente como as ocidentais. As novas imagens do Irãque o Festival do Rio vai trazer incluem - "Fora do Jogo", deJafar Panahi, premiado em Berlim; "It?s Winter", de Rafi Pitts,que também passou em Berlim (e é melhor ainda); e "Men at Work",de Mani Haghighi, que tem argumento de Abbas Kiarostami. Cinema que pensa: Marcel Duchamp, com seu "AnémicCinéma", de 1926, é uma das atrações deste novo programaorganizado por Eryk Rocha, Paula Gaitán e Juan David Posada,reunindo títulos de várias épocas e suportes para debater, apósas projeções, a reeducação do público por meio da liberação doolhar e da audição, como sentidos fundamentais para a fruição docinema. Midnight movies: Uma das tradições do Festival do Rio, amostra de filmes da meia-noite, com cults (e candidatos a)soma-se a outras mostras como Mundo Gay, Limites e Fronteiras,Geração, Expectativa e Dox, que abrem espaço para as chamadasmanifestações culturais e comportamentais alternativas. Doxpromete ser a grande novidade deste ano, com documentários quepretendem provar a vitalidade do gênero, mostrando que o cinemanão precisa de ficção para contar boas histórias. A própriarealidade as fornece. Entre os destaques - "No Silêncio Divino",já exibido (e premiado) no Festival de Documentários É TudoVerdade, sobre um monastério nos Alpes; "Meninas do Cairo",sobre garotas que vivem na rua, na capital do Egito; e"Jonestown, Vida e Morte no Templo do Povo", sobre o fanáticoJim Jones. Retrospectivas: Charlotte Rampling vem para inaugurar amostra dedicada a Luchino Visconti, que vai mostrar, em película grandes filmes do diretor italiano, de quem se comemoram duasdatas redondas em 2006 - centenário de nascimento e 30 anos demorte. A retrospectiva não é completa, mas inclui raridades como"Vagas Estrelas da Ursa", de 1965. Outra retrospectiva, mesmoparcial, vai exibir filmes importantes dochileno-mexicano-parisiense Alejandro Jodorowski - "Fando e Liz" "El Topo", "A Montanha Sagrada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.