Chris Pizzello/Pool via REUTERS
Chris Pizzello/Pool via REUTERS

Como Glenn Close virou rainha do hip hop citando lendas do go-go funk na cerimônia do Oscar

'Da Butt' foi a trilha de uma cena clássica de 'Lute Pela Coisa Certa', e o videoclipe da música, também dirigido por Spike Lee, colocou a dança na moda

Bethonie Butler, The Washington Post

28 de abril de 2021 | 20h00


A 93.ª cerimônia de entrega do Oscar estava começando a pesar nos discursos, no domingo, quando Questlove anunciou que ele e o comediante Lil Rel Howery fariam um jogo de perguntas e respostas com os indicados da noite. “Quest vai tocar a música de um filme, e nós vamos tentar descobrir se a canção foi indicada ao Oscar, ganhou o Oscar ou nenhuma das anteriores”, informou Howery à plateia.

Andra Day, indicada a Melhor Atriz por Estados Unidos vs. Billie Holiday, foi a primeira participante. Enquanto Purple Rain ressoava pelo salão, ela adivinhou corretamente que a “brilhante" canção de Prince foi desprezada na categoria de Melhor Canção Original. “A trilha sonora ganhou o prêmio, mas nenhuma das canções da trilha foi indicada”, afirmou Howery. “Louco isso, né?”

“Foi bem isso”, afirmou Andra.

O participante seguinte foi Daniel Kaluuya, que coestrelou com Howery Judas e o Messias Negro e já tinha levado o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante naquela noite. Ele chutou que Last Dance, sucesso da disco music de 1978, de Donna Summer, do filme Até que Enfim é Sexta-feira”, tinha sido apenas indicada ao Oscar. Kaluuya estava errado: a música foi premiada como Melhor Canção Original.



Então Howery foi em direção a Glenn Close, indicada a Melhor Atriz Coadjuvante, que estava sentada na mesma mesa que ele. Glenn dançou sentada da cadeira enquanto um trecho da música seguinte era tocado a pedido de Questlove, anunciado por Howery como "um desafio” para a estrela de Era Uma Vez um Sonho acertar.

"I said come here big girl / won't you rock my world /show that dance to me.” [Eu disse, vem cá, garota / que tal sacudir o meu mundo? / me mostra aquela dança].

Howery abanou a mão, indicando que Glenn, 74 anos, nascida em Greenwich, Connecticut, não “saberia nada” a respeito da canção, bastante conhecida entre muitos habitantes da região de Washington.

“Espera um pouco”, afirmou Glenn. "É Da Butt.”

“Isso é um clássico do EU, uma grande banda de go-go funk de Washington”, explicou ela.”Saudações a Sugar Bear, à Backyard Band e a todo hip hop da área."

Com isso, a cerimônia do Oscar passou subitamente de incomum e um pouco aborrecida para positivamente iluminada (um certo repórter que cresceu na região de Washington berrou quando a indicada oito vezes ao Oscar citou pelo nome duas das mais lendárias bandas de go-go funk da área). Glenn continuou a relatar em detalhes o mal-sucedido destino da canção de 1988 no Oscar.

"Spike Lee a compôs para seu brilhante filme Lute Pela Coisa Certa, mas meus amigos do Oscar não entenderam nada”, afirmou Glenn. “A música não foi nem sequer indicada, então, não tinha como ganhar.”

Glenn escolheu palavras duras para comentar a omissão - apenas uma da longa lista de desfeitas que o veterano diretor Lee suportou - mas a ABC desligou o microfone nessa hora. “Não esperava mesmo, de jeito nenhum, que você conhecesse Da Butt”, afirmou Howery. “É muito legal e ao mesmo tempo incômodo.”

Howery perguntou para Glenn se ela sabia fazer a dança de Da Butt, como no filme e no videoclipe da música. Ela sabia - e fez uma demonstração enquanto seus colegas aplaudiam e caiam na gargalhada.

 


Da Butt foi a trilha de uma cena clássica de Lute Pela Coisa Certa, e o videoclipe da música, também dirigido por Lee, colocou a dança na moda - e a canção virou um raro sucesso de go-go funk a chegar nas paradas da Billboard. Um artigo de 2011 do Washington Post recordou que o diretor recrutou a banda EU (sigla de Experience Unlimited) para gravar a trilha sonora do filme depois de ver o grupo se apresentar em uma festa em Washington.

“No quarto de século que se passou desde que a voz do vocalista da EU, Sugar Bear, explodiu nos alto-falantes de Cleveland, Los Angeles e da própria Washington, nenhuma outra canção de go-go chegou perto da onipresença que Da Butt imprimiu ao fim da era Reagan”, escreveu Sarah Godfrey em 2012, em um relato de história oral para o Washington City Paper.

Enquanto as categorias finais do Oscar enfureceram alguns espectadores por certos desapreços, foi divertido imaginar Glenn como uma fã secreta de go-go funk. Mas o Los Angeles Times noticiou que, infelizmente, esse momento, assim como a maioria dos momentos mais tocantes do Oscar, foi roteirizado.

Ao falar com o ator Andrew Rannells após a premiação, Howery brincou que ele havia transformado a marcante cerimônia deste ano em um “BET Awards com menos de cinco minutos”. Mas o comediante foi evasivo ao comentar se toda a conversa com Glenn foi planejada.

“Eu não sabia que ela faria aquilo tudo”, afirmou Howery. “Pensei, ‘Bem, Rel, você pode tentar convencê-la a dançar o Da Butt, ver se ela dançaria’. Então decidi, ‘Vou pedir pra ela fazer o Da But'’. E ela se levantou e fez o Da Butt!"

Vale notar que Jesse Collins - que coproduziu a cerimônia do Oscar juntamente com a produtora Stacey Sher e o diretor Steven Soderbergh - é nativo da região de Washington e começou a trabalhar na rádio WPGC 95,5 antes de se mudar para Los Angeles e lançar sua carreira em Hollywood.

No início deste ano, Collins afirmou à emissora de TV local WUSA9 que tenta "enfiar go-go em tudo que consigo”. Foi graças a Collins que o gênero musical nascido em Washington ganhou destaque nacional também na cerimônia dos BET Awards de 2019, cuja anfitriã, Regina Hall, afirmou que queria dar aos espectadores “um gostinho da Washington em que cresci”.

Sugar Bear foi uma das atrações dos BET Awards daquele ano, apresentando um tributo ao go-go-funk que incluiu o icônico sucesso da EU.


TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.