Comerciante oferece DVD pirata de <i>Cassino Royale</i> a Craig

O ator Daniel Craig, o novo James Bond, e o diretor do último filme do agente 007, Martin Campbell, foram surpreendidos nesta segunda-feira em Pequim por vendedores de rua que ofereceram a eles cópias piratas com legenda em russo de 007 - Cassino Royale. Ao visitarem lugares turísticos da cidade, alguns vendedores não reconheceram os artistas e ofereceram a eles por um baixo preço uma cópia do filme protagonizado por Craig, embora o ator britânico tenha declinado a oferta. Campbell, no entanto, comprou uma cópia por curiosidade e, após vê-la, assegurou que a qualidade era "terrível". O diretor condenou o fenômeno da pirataria, um problema que, segundo ele, não ocorre exclusivamente na China, mas em toda a Ásia, cujos Governos "tem que tomar medidas" para freá-lo. Campbell e Craig elogiaram o diretor chinês Zhang Yimou, e o novo James Bond também opinou sobre o sucesso do cinema latino-americano nas indicações ao Oscar, assegurando à EFE que já era hora de as produções em espanhol serem reconhecidas pela Academia. Em um encontro com jornalistas chineses e um reduzido grupo de repórteres estrangeiros, Campbell assegurou que não dirigirá o próximo filme do agente 007, que terá o título Bond 22. Cassino Royale já arrecadou US$ 500 milhões nos cinemas do mundo todo, superando o recorde anterior de bilheteria da série James Bond, de 007- Um Novo Dia para Morrer, com US$ 432 milhões. Na China, onde Cassino Royale é o primeiro filme de James Bond a ser projetado nos cinemas em 45 anos, espera-se uma arrecadação de US$ 11,5 milhões. Cassino Royale passou sem problemas pela apuração da censura chinesa, que limita o número de filmes estrangeiras nos cinemas a 20 por ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.