Comédias de Jerry Lewis ganham edição em DVD

Jerry Lewis é um exemplo de artista americano que ganhou reconhecimento na França, sendo alçado ao pedestal dos grandes cômicos do cinema. Nos EUA, era só o palhaço que fazia gracinhas acompanhando o latin lover Dean Martin. Seus lançamentos de DVD da Paramount vão permitir que se reavalie a importância de Jerry Lewis. A princípio, a Paramount Home Vídeo pensava numa caixa. Desistiu. Os DVDs serão colocados à venda isoladamente, a partir de hoje. Cinco são de filmes dirigidos e interpretados por ele - O Mensageiro Trapalhão, O Terror das Mulheres, Mocinho Encrenqueiro, O Professor Aloprado e O Otário, todos feitos entre 1960 e 64. O sexto é O Delinqüente Delicado, de 1957 dirigido por Don McGuire.Lewis, que surgiu no music-hall, fez sucesso em dupla com Dean Martin, obedecendo a um esquema simples. Em esquetes para night clubs e, depois, teatros, Martin queria sempre cantar e Lewis fazia de tudo para impedi-lo. O público achava graça, no fim Martin cantava e conquistava a garota. Foi assim que a dupla chegou ao cinema, para uma série de comédias dirigidas por Frank Tashlin (as melhores) e Norman Taurog (as medíocres). Apesar da fama e do dinheiro, cada um achava que era melhor que o outro. Martin faz parte das emoções inesquecíveis do cinema por seus papéis em filmes de gênero bem distantes das comédias - o western Onde Começa o Inferno, de Howard Hawks, de 1959, e o melodrama Deus Sabe Quanto Amei, de Vincente Minnelli, de 1958, dois filmes feitos após o fim da parceria com Lewis.Jerry, mais ambicioso, passou a dirigir e interpretar os próprios filmes. Quase toda sua obra pode ser interpretada como uma investigação sobre o matriarcado na sociedade americana. Outros temas possíveis são o desdobramento de personalidades e a busca de identidade - Lewis sempre gostou de interpretar vários personagens no mesmo filme -, aos quais se somavam outras características de ordem talvez mais estilísticas. O humor de Lewis é tanto verbal quanto visual e há nele essa vontade de revelar o cenário como coisa de cinema, antecipando o Federico Fellini de E la Nave Va. A câmera que se afasta no fim de O Terror das Mulheres mostra que aquilo é só um set de filmagem, uma construção parcial com câmeras e refletores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.