Comediantes negros revitalizam cinema americano

Os comediantes negros tomam conta do mercado americano. Os discípulos de Eddie Murphy (que retorna aos cinemas esta semana com o filme O Professor Aloprado 2) ganham cada vez mais espaço, atingindo salários recorde e conquistando um público cada vez mais fiel. É o caso de Chris Rock, Martin Lawrence e dos irmãos Wayans, que roubam o espaço de nomes como Jim Carrey e Adam Sandler. O humor black garante espaço no mainstream ao mesmo tempo em que o hip hop e a moda street consagram-se como fenômenos culturais nos Estados Unidos. Com a decadência dos filmes de gangsta, atores negros apostam com força na comédia abusando de jargões comportamentais hilários. Se Richard Pryor e Eddie Murphy reinaram sozinhos nos anos 70 e 80, respectivamente, o mercado de hoje tem uma geração de peso. Chris Rock, por exemplo, tem um programa no canal por assinatura HBO, faz bem-sucedidas turnês de comédia pelo país e tem pelo menos quatro projetos cinematográficos alavancados. Martin Lawrence, por sua vez, deve ser o próximo ator de Hollywood a atingir a faixa dos US$ 20 milhões, graças ao sucesso de Vovó Zona. Shawn e Marlon Wayans, que estrelam a paródia Scary Movie (dirigida pelo irmão deles, Keneen Ivory Wayans), foram convidados para apresentar o Video Music Awards, da MTV, em 7 de setembro. Rock foi o primeiro a ser apontado como sucessor de Pryor e Murphy. Descoberto por Murphy em um clube de comédias nova-iorquino, ele apareceu em Um Tira da Pesada e teve uma lenta ascensão ao topo. Desbocado como poucos, trabalhou em filmes como A Gangue Brutal, Boomerang e Máquina Mortífera 4, além de programas como Saturday Night Live (a escola da maioria dos comediantes bem sucedidos nos Estados Unidos) e Politically Incorrect.No ano passado, Rock apareceu no polêmico Dogma, de Kevin Smith, e se consagrou com especiais para o HBO. Em maio, ele recebeu elogios em Cannes por conta de Nurse Betty, de Neil LaBute, que ganhou o prêmio de melhor roteiro. No momento, o comediante está trabalhando em uma versão totalmente black de O Céu Pode Esperar (rebatizada de Down to Earth) e em Osmosis Jones, que mistura atores com personagens animados. Lawrence é uma das grandes surpresas dos últimos tempos. Depois de aparecer em filmes que foram marcos da cultura negra do início dos anos 90, como Faça a Coisa Certa e Uma Festa de Arromba, ele ganhou um seriado próprio, Martin (exibido no Brasil pelo canal Sony). Desde < Nothing to Lose, de 1997, co-estrelado por Tim Robbins, Lawrence vem fazendo cada vez mais sucesso e engordando o cofrinho. Cachê milionário - O sucesso de Blue Streak e Life (com Murphy) fez com que ele recebesse US$ 10 milhões para aparecer em Vovó Zona, uma produção em que faz o papel de um investigador disfarçado de matriarca de uma família negra do sul dos Estados Unidos. O filme faturou US$ 100 milhões nos Estados Unidos, o que aumentou seu cachê em What´s the Worst Thing That Could Happen? para US$ 13 milhões. Ele agora deve receber US$ 16,5 milhões para estrelar Black Knight, sobre um homem que vai parar na era medieval. Lawrence também deve produzir o projeto, entrando também em alguma porcentagem da bilheteria. E vêm aí duas outras continuações, para as quais ele deve atingir a faixa dos US$ 20 milhões: Blue Streak 2 e Bad Boys 2. Os irmãos Wayans, que estão no mercado há vários anos, também estão capitalizando com a onda do humor black. Shawn, Marlon e Keneen apareceram em comédias variadas dos anos 80 que fizeram médio sucesso nos Estados Unidos. Entre 1990 e 1994, foram os responsáveis pelo programa de TV In Living Color, considerado tão engraçado quanto o Saturday Night Live. Em 1995, foi a vez de The Wayans Brothers, outra série que fez sucesso na TV americana até o ano passado. Com Scary Movie, a paródia de filmes de terror como Pânico e Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado, que faturou US$ 100 milhões em três semanas, eles garantem ainda mais espaço. Eles substituem Rock na função de apresentadores do VMA e resumem a boa fase: "Este verão está sendo melhor do que aquele em que perdi a virgindade com a garota gorda na escadaria do condomínio", disse Marlon. E, pelo, jeito, a temporada ainda deve melhorar muito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.