Começa o Open Air no Jockey Club

No Rio, lotou. Virou programão. Omesmo deve ocorrer em São Paulo no cinema a céu abertoTelefônica Open Air, com direito a telão de 275 metros quadrados(um prédio de seis andares) e programação variada - um filmediferente a cada noite. A temporada paulistana terá aberturaoficial nesta quinta-feira, no Jockey Club, somente para convidados, coma apresentação do filme Casamento Grego. De sexta-feira até o dia 26, o público terá um amploleque de filmes e shows à sua escolha - sim, depois dos filmes,o programa continua aberto com apresentações de músicos na tendaque abriga bares e restaurantes instalados no local. Há desdefilmes que já fizeram sucesso em temporadas recentes, comoHomem-Aranha, Harry Porter 1 e Apocalipse Now Redux,até Fale com Ela de Almodóvar, que acaba de entrar emcircuito. E ainda pré-estréias, como o filme de sexta-feira, OQue Elas Querem, ou O Filho da Noiva, que será apresentadona próxima segunda-feira e só chega ao circuito de exibição nasexta. Mas o prazer - e o charme - de freqüentar o TelefônicaOpen Air está além de simplesmente assistir a um filme, coisaque pode ser feita em qualquer cinema. Antes de mais nada, verum filme a céu aberto é muito diferente de estar no escurinho deuma sala de cinema. Ao ar livre fica mais forte a sensação deprograma coletivo. Por instantes, volta à memória o cinema napraça, cidade reunida diante de uma tela armada sobre umcaminhão ou na fachada lateral de uma casa ou igreja. Mas sómesmo por um instante. Assim que o telão, a princípio nahorizontal, vai ganhando a posição vertical, bombardeado sobreuma iluminação a laser, fica claro que os tempos são outros.Nada de chuviscos. O som é digital. A tecnologia, da melhorqualidade. Almofadas coloridas foram instaladas na tribuna doJockey. Dali se vê o filme. Como bom mesmo é chegar cedo ebebericar num dos bares locais, os lugares são numerados (sechegar cedo mesmo ainda dá para pegar algum páreo e apreciar oscavalos correndo na pista). O sistema é prático e funcional. Aoentrar no Jockey, o espectador escolhe o seu lugar. De umaespécie de bolsinho de plástico transparente costurado naalmofada, ele retira um cartão com o número de sua cadeira. Nolugar do número retirado fica aparecendo, no bolsinho daalmofada, a palavra reservado - pronto, está guardado o lugar. Minutos antes de começar o filme, os alto-falantessolicitam ao público que tomem seus lugares. É bom fazê-lo.Sempre há um engraçadinho que não respeita o sistema dereservas. Se o espectador esperar escurecer fica maisdifícil brigar pelo seu (mais que merecido) desejo de sentar nolugar reservado. A Telefônica contou com o co-patrocínio do Mastecard eda Samsung para criar a programação pré e pós-filme - bares,restaurantes, shows de música. Há ainda terminais decomputadores disponíveis para o público. Patrocinado, obviamente pela Telefônica, o evento é uma realização das produtorasByington & Casé e D+ Produções. A curadoria da programaçãocinematográfica ficou por conta de Adhemar Oliveira e LeilaBourdoukan.Serviço - Telefônica Open Air. Quinta, abertura para convidadoscom a pré-estréia do filme ´Casamento Grego´, de Joel Zwick, eshow de Fernanda Porto. Sexta, às 21h, ´O Que Elas Querem´, deJohn McKay, e show do Clube do Balanço; sábado, às 20h30, ´HarryPotter e a Pedra Filosofal´, de Chris Columbus; sábado, às 23h30 ´Códigos de Guerra´, de John Woo, e show Augusto Mystical.Domingo, às 21h, ´Homem-Aranha´, de Sam Raimi, e show de FláviaVirgínia. R$ 15,00. Informações: www.telefonicaopenair.com.br oupelos tels. 6846-6000 (só São Paulo) e 0300-789-6846 (outrasregiões). Jockey Club Paulista. Avenida Lineu de Paula Machado,1.263, em São Paulo. Até 26/11.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.