Começa julgamento de Polanski contra a "Vanity Fair"

A ação movida por Roman Polanski contra a revista americana Vanity Fair começou a ser julgada nesta segunda-feira, em um tribunal de Londres. Para evitar sua extradição para os Estados Unidos, Polanski participa por videoconferência de Paris, abrindo um precedente legal.Aos 71 anos, Polanski processa a Vanity Fair por um artigo publicado em 2002, em que ele é acusado de tentar seduzir uma jovem sueca num restaurante de Nova York enquanto acontecia o funeral de sua mulher, Sharon Tate, assassinada em Los Angeles no ano de 1969, por seguidores de Charles Manson.Premiado com o Oscar de melhor diretor por O Pianista, em 2003, Polanski é acusado de abuso sexual de menor nos Estados Unidos, país que pediu sua extradição. O Supremo Tribunal da Grã-Bretanha, onde existe uma ordem de prisão internacional contra o cineasta, permitiu que ele comparecesse ao julgamento por meio de uma videoconferência desde um hotel parisiense, o que abre um precedente legal.Cidadão francês, nascido na Polônia, Polanski declarou-se culpado em 1977, nos Estados Unidos, de manter relações sexuais com uma jovem de 13 anos, mas fugiu para a França - de onde não pode ser extraditado, por ser cidadão francês - sem esperar a sentença.Polanski nunca voltou para os Estados Unidos, tampouco viajou para a Grã-Bretanha. O julgamento deve durar de cinco a 10 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.