Começa hoje Festival de Nova York

Dancer in the Dark, o último filme do cineasta dinamarquês Lars Von Trier, abre hoje a noite a 38ª edição do Festival de Cinema de Nova York (NYFF), uma das mais prestigiadas mostras da produção cinematográfica mundial nos EUA. Até o dia 9 de outubro, quando a última produção do chinês Ang Lee, o aguardado longa Crouching Tiger, Hidden Dragon, encerra o evento, 36 filmes de 22 países serão exibidos. Depois de um hiato de quatro anos, uma produção brasileira volta a integrar a seleção do NYFF. Trata-se de Cronicamente Inviável, do cineasta paranaense Sérgio Bianchi, que será exibido no dia 7 de outubro. Como se tornou praxe no NYFF desde 1994, produções asiáticas formam o maior bloco da mostra. Nesse ano, são dez longas, incluindo Gohatto, o primeiro filme do japonês Nagisa Oshima em 14 anos; In the Mood for Love, do chinês Wong Kar-Wai; e o preferido do diretor do festival, o programador Richard Peña, Eureka, do japonês Shinji Aoyama. Os asiáticos também buscam novos terrenos. Enquanto Ang Lee volta a filmar em seu idioma natal (Crouching vem sendo celebrado como um dos favoritos para o próximo Oscar, devendo conquistar múltiplas indicações nas principais categorias, como A Vida É Bela), Takeshi Kitano faz sua estréia numa produção americana, com Brother. Nessa edição do NYFF, apenas três filmes americanos foram selecionados. Before Night Falls, que ganhou os prêmios de melhor direção (para Julian Schnabel) e ator (o espanhol Javier Bardem) no recente Festival de Veneza, traz uma participação especial do diretor Héctor Babenco e do ator Johnny Depp, ambos em papéis de homossexuais. Mas a polêmica dos americanos deve ficar mesmo por conta de Pollock, que marca a estréia do ator Ed Harris na direção. Harris, que também interpreta o papel principal dessa cinebiografia do artista plástico Jackson Pollock, vem sendo processado por Ruth Kligman, amante do pintor e sobrevivente do acidente automobilístico que tirou a vida de Pollock em 1956. Entre os filmes participantes do 38º NYFF estão O Círculo, do iraniano Jafar Panahi, que venceu o último festival de Veneza; Faithless, de Liv Ullman e roteiro de Ingmar Bergman; Kippur, de Amos Gitai, o primeiro filme de Israel a ser exibido nessa mostra; e The House of Mirth, do inglês Terrence Davies, que traz a participação da atriz Gillian Anderson (do seriado Arquivo X) no papel da heroína do romance de Edith Wharton, A Casa da Felicidade.

Agencia Estado,

22 de setembro de 2000 | 18h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.