Começa em SP o 7.º Festival Internacional de Documentários

No texto de abertura que escreveu para o catálogo do 7.º Festival Internacional de Documentários - É Tudo Verdade, o crítico Amir Labaki, organizador e diretor do evento, escreve que o mundo das imagens e as imagens do mundo foram, no ano passado, marcados indelevelmente pelo ataque do terror às torres gêmeas de Nova York, em 11 de setembro. E ele acrescenta que, até por isso, nestes mais de cem anos de cinema nunca, como agora, a produção não ficcional despertou igual interesse, enfrentou igual desafio e, felizmente, esteve tão seguramente à altura das exigências da hora. A prova está na seleção do festival de documentários deste ano.A maratona começa nesta segunda-feira e vai até domingo abrindo uma janela para a realidade que vai mostrar, em diferentes seções (mostra nacional e internacional, retrospectiva internacional, retrospectiva brasileira e programas especiais), um panorama bastante completo do que foi, em todo o mundo, o documentário no ano passado. Não falta um programa muito interessante, chamado Reflexão 2001, que mostra, à maneira de um réquiem, o cotidiano do World Trade Center, antes da tragédia. Foi filmado em abril passado, há exatamente um ano, quando ninguém imaginava que, apenas cinco meses depois, as torres símbolos da pujança do capitalismo estariam por terra.Até pelo 11 de setembro, há muitos documentários que trazem imagens de conflitos e guerras. Mas até a guerra só consegue tocar-nos por suas conseqüências na vida das pessoas. E é o rosto delas, expressando angústia, tristeza, medo, ansiedade esperança, que faz a festa do Festival Internacional de Documentários. Há vários perfis, alguns mais fascinantes do que outros, talvez, mas isso é natural. É a expressão da diversidade que faz o colorido e o fascínio do documentário como do próprio cinema. Os caminhos são sempre múltiplos. Não há uma só via para o documentário, uma só para a ficção.Imperdíveis - Há obras que você pode anotar no seu caderninho para não perder. Uma delas é justamente Reflexão 2001, do sueco Jan Troell - o diretor de Os Emigrantes, O Novo Mundo e A Esposa Comprada -, que abre amanhã o 7.º É Tudo Verdade para convidados, num programa duplo com Berlim - Sinfonia de uma Metrópole, do alemão Thomas Shoadt. Os dois filmes terão novas exibições até domingo, permitindo sua descoberta por legiões de espectadores muito mais amplas do que a platéia de convidados de amanhã.Homenageado no ano passado, Frederick Wiseman mostra seu filme sobre a violência doméstica, que tem esse título e expõe, com veemência, o tema das mulheres que dormem com o inimigo e sofrem, no âmbito do lar, todo tipo de abuso por parte dos companheiros. Caixa Preta Alemanha, de Andres Veiel, expõe as ligações das finanças com o crime e usa o assassinato de um banqueiro, em 1989, para discutir a herança (ou a permanência?) do nazismo na Alemanha. Timor Lorosae - O Massacre Que o Mundo não Viu, de Lucélia Santos, põe na tela uma das grandes tragédias de nossa época, mas, justamente por isso, porque a história do Timor Leste já é, por si só, essa tragédia, o documentário não precisava de um comentário tão emocional.Tragédias, violências, conflitos. E também Viva São João!, de Andrucha Waddington, que documenta a turnê de Gilberto Gil durante as festas juninas do ano passado, para tirar daí um retrato vivo e apaixonado das manifestações culturais no interior do Brasil. E Eliane, de Ana Carolina Maciel e Caco Souza, que põe o foco na mais misteriosa das estrelas do cinema brasileiro, a Greta Garbo da Vera Cruz, Eliane Lage. E Samba Riachão, de Jorge Alfredo, sobre o sambista baiano, que insinua, por momentos, o grande documentário que poderia ter sido se não fosse tão subserviente à persona criada pelo documentado. Há muito mais: a retrospectiva de Orson Welles, o resgate do Globo Repórter, com os programas assinados por Eduardo Coutinho e João Batista de Andrade, entre outros. O deslumbrante Os Catadores e Eu, de Agnès Varda. Esse é um documentário muito especial. Agnès usa as pessoas que recolhem, nas ruas, os restos da sociedade, para tecer uma metáfora sobre o próprio cinema.Serviço - CineSesc (R. Augusta, 2.075. 3082- 0213). 15 de abril (segunda- feira) só para convidados 21h - Reflexão 2001, de Jan Troell, dur. 7 min., Suécia/2002, sem diálogo; e Berlim: Sinfonia de uma Metrópole, de Thomas Schat, dur. 80 min., Alemanha/2002, sem diálogo 16 de abril (terça-feira) 18h - O Tubo, de Peter Entell, dur. 87 min., Bélgica/Suíça, 2001 leg. em português 20h - Procurando Busi, de Robyn Hofmeyer, dur. 52 min., África do Sul/2001, leg. em inglês; e Wana´n Wina, de Dumisani Phakathi dur. 52 min., África do Sul/2001, leg. em inglês 22h - A Guerreira da Luz, de Monika Treut, dur. 90 min., Alemanha/ 2001, leg. em português 17 de abril (quarta-feira) 18h - Os Desocupados, de Susanna Helke & Virpi Suutari, dur. 82 min., Finlândia/ 2001, leg. em português 20h - 90 Milhas, de Juan Carlos Zaldivar, dur. 72 min., EUA/2001 leg. em português 22h - Caixa Preta Alemanha, de Andres Veiel, dur. 107 min., Alemanha/2001, leg. em português 18 de abril (quinta-feira) 18h - Howrah Howrah, de Till Passow, dur. 26 min., Alemanha-Índia/2001, leg. em português; Agosto - Um Momento Antes da Explosão, de Avi Mograbi, dur. 72 min., França-Israel/2002, leg. em português 20h - H.I.J.O.S ? Almas Divididas, de Carmem Guarini & Marcelo Céspedes, dur. 80 min., Argentina/2002), leg. em português 22h - De Olho na Música, de Bob Connolly & Robin Anderson, dur. 85 min., Austrália/2001, leg. em português 19 de abril (sexta-feira) 18h - Refúgio, de Kim Longinotto & Ziba Mir-Hosseini, dur. 87 min., Inglaterra/2001, leg. em português 20h - Oscar Niemeyer - O Filho das Estrelas, de Henri Raillard, dur. 52 min., Brasil/2001 22h - De Agora em Diante, de Johan Van der Keuken, dur. 10 min., Holanda/2002, leg. em português; Os Catadores e Eu, de Agnès Varda, dur. 82 min., França/2000, leg. em português 24h - A Lenda de Leigh Bowery, de Charles Atlas, dur. 60 min., França/2001, leg. em francês 20 de abril (sábado) 14h ? Reconstrução, de Irene Lusztig, dur. 90 min., EUA/2001, leg. em português 16h - Janela da Alma, de João Jardim e Walter Carvalho, dur. 73 min., Brasil/2001, leg. em português 18h - Ota Benga - O Pigmeu na América, de Alfeu França, dur. 16 min., Brasil-EUA/2001, leg. em português; Sonhadores, de Jorgen Leth, dur. 58 min., Dinamarca/2002, leg. português 20h - Porque, de Rada Sesic, dur. 32 min., Holanda/2001, leg. em português; Um Passaporte Húngaro, de Sandra Kogut, dur. 72 min., França/2001, leg. em português 22h - Viva São João, de Andrucha Waddington, dur. 75 min., Brasil/2002 24h - Rua 54, de Fernando Trueba, dur. 105 min., Espanha-França/2000, leg. em português 21 de abril (domingo) 14h - Violência Doméstica, de Frederick Wiseman, dur. 196 min., EUA/2001, leg. em português 1+8h - A Ilha dos Garotos Perdidos, de Florence Jaugey, dur. 80 min., Nicarágua/2001, leg. em português 20h - Cerimônia de encerramento Centro Cultural Banco do Brasil (R. Álvares Penteado, 112. 3113-3651). 16 de abril (terça-feira) 12h30 - O Jogo de Cuba, de Manuel Martín Cuenca, dur. 93 min., Cuba-Espanha/2001, leg. em inglês 14h30 - Lembre-se da Chuva, de Lucy Allwood, dur. 47 min., Polônia-Inglaterra/2001 16h30 - Evangelho Segundo Jece Valadão, de Joel Pizzini, dur. 55 min., Brasil/2001; O Teatro Segundo Antunes Filho - Capítulo 1: As Origens de um Artista, de Amilcar Monteiro Claro, dur. 53 min., Brasil/2002 18h30 - Samba Riachão, de Jorge Alfredo, dur. 80 min., Brasil/2001 17 de abril (quarta-feira) 12h30 - Retrato de Classe, de Gregório Barcic, dur. 42 min., Brasil/77; Os Índios Kanela, de Walter Lima Jr., du. 26 min., Brasil/74 14h30 - A Mulher no Cangaço, de Hermano Penna, dur. 60 min., Brasil/76; O Último Dia de Lampião, de Maurice Capovilla, dur. 49 min., Brasil/72 16h30 - Wilsinho da Galiléia, de João Batista de Andrade, dur. 62 min., Brasil/78; Teodorico, o Imperador do Sertão, de Eduardo Coutinho, dur. 49 min., Brasil/78 18h30 - Debate Globo Shell Especial e Globo Repórter/71-79 18 de abril (quinta-feira) 12h30 - Fujimori e Montesinos - O Ditador e seu Duplo, de Yves Billon e Antonio Wagner, dur. 52 min., França/2002, leg. em inglês 14h30 ? Exu, uma Tragédia Sertaneja, de Eduardo Coutinho, dur. 39 min., Brasil/79; Seis Dias de Ouricuri, de Eduardo Coutinho, dur. 41 min., Brasil/76 16h30 - A Vida em Cana, de Jorge Wolney Atalla, dur. 69 min., Brasil/2001 18h30 ? Arquitetura, a Transformação do Espaço, de Walter Lima Jr., dur. 50 min., Brasil/72; Caso Norte, de João Batista de Andrade, dur. 38 min., Brasil/77 19 de abril (sexta-feira) 12h30 - O Poder do Machado de Xangô, de Paulo Gil Soares, dur. 39 min., Brasil/76; Velho Chico, Santo Rio, de Guga de Oliveira, dur. 45 min., Brasil/73 14h30 - Do Sertão ao Beco da Lapa ? Parte 1, de Maurice Capovilla, dur. 20 min., Brasil/72; Semana de Arte Moderna, de Geraldo Sarno, dur. 60 min., Brasil/71 16h30 - Verdades e Mentiras de Orson Welles, de Orson Welles, dur. 85 min., Alemanha-França-Irã/75, leg. em português 18h30 - Volta ao Mundo com Orson Welles, de Orson Welles, dur. 5 x 26 min., Inglaterra/55, leg em português 20 de abril (sábado) 12h30 - Orson Welles no País de Dom Quixote, de Carlos Rodríguez dur. 90 min., Espanha/2000, leg. em inglês 14h30 - É Tudo Verdade, de Orson Welles, Norman Foster,Bill Krohn, Myron Meisel & Richard Wilson, dur. 89 min., EUA-França/93, leg. Em inglês 16h30 - Debate 60 Anos de É Tudo Verdade / It´s All True 18h30 - Volta ao Mundo com Orson Welles, de Orson Welles, dur. 5 x 26 min., Inglaterra/55, leg. em português 21 de abril (domingo) 12h30 - Linguagem de Orson Welles, de Rogério Sganzerla, dur. 22 min., Brasil/91; Tudo É Brasil, de Rogério Sganzerla, dur. 82 min., Brasil/97 14h30 - O Caso Diminici por Orson Welles, de Christophe Cognet, dur. 52 min., França/2000), leg. em inglês 16h30 - Nem Tudo É Verdade, de Rogério Sganzerla, dur. 95 min., Brasil/86 Centro Cultural Banco do Brasil - Vídeo (R. Álvares Penteado, 112. 3113-3651). 16 de abril (terça-feira) 16h30 - O Último Vestígio, de Paola Castillo, dur. 63 min., Chile/2002, leg. em inglês 18h30 - Jogo de Sombras, de Chris Hilton, dur. 79 min., Austrália/2001, leg em inglês 17 de abril (quarta-feira) 16h30 - Jogo de Sombras, de Chris Hilton, dur. 79 min., Austrália/2001, leg. em inglês 18h30 - Mapas Urbanos 2 - Recife dos Poetas e Compositores, de Daniel Augusto, Brasil/75 min., 2001 18 de abril (quinta-feira) 16h30 - Fujimori e Montesinos - O Ditador e seu Duplo, de Yves Billón & Antonio Wagner, dur. 52 min., França/2002, leg. em inglês 18h30 ? 11 de Setembro - New York City Independent Media Center, de Big Noise Film & Paper Tiger TV Collective, dur. 28 min., EUA/2001; Transformando a Tragédia em Guerra, de Paper Tiger TV Collective, dur. 26 min., EUA/2001 19 de abril (sexta-feira)16h30 - João Pacífico - O Caipira de São Paulo, de Paulo Weidebach, dur. 74 min., Brasil/200218h30 - Wai´a Rini, o Poder do Sonho, de Divino Tserewahú, dur. 65 min., Brasil/2001, leg. em português20 de abril (sábado)16h30 e 18h30 ? Mapas Urbanos 2 - Recife dos Poetas e Compositores, de Daniel Augusto, dur. 75 min., Brasil/200121 de abril (domingo)16h30 - Injustiça, de Ken Fero, dur. 98 min., Inglaterra/200118h30 - João Pacífico - O Caipira de São Paulo, de Paulo Weidebach, dur. 74 min., Brasil/2002Cineclube Directv 2 (R. Augusta, 2.530. 3085-7684).16 de abril (terça-feira)19h - Gaudí na Favela, de Sérgio Oksman, dur. 48 min., Espanha/200221h - Língua - Vidas em Português, de Victor Lopes, dur. 103 min., Brasil/200217 de abril (quarta-feira) 17h - Língua ? Vidas em Português, de Victor Lopes, dur. 103 min., Brasil/2002 19h - Metro - A Metrópole em Você, de Raquel Couto, dur. 26 min. Brasil/2001; Artesãos da Morte, de Miriam Chnaiderman, dur. 18 min., Brasil/2001; Afinação da Interioridade, de Roberto Berliner, dur. 1 min., Brasil/2001; Um Pouco mais um Pouco Menos de Marcelo Masagão & Gustavo Steinberg, dur. 20 min., Brasil/2001; Um Rei no Xingu, de Helena Tassara, dur. 28 min., Brasil/2002 21h - Rocha que Voa, de Eryk Rocha, dur. 94 min., Brasil/2002 18 de abril (quinta-feira) 17h - Rocha que Voa, de Eryk Rocha, dur. 94 min., Brasil/2002 19h ? Clandestinos, de Patrícia Moran, dur. 12 min., Brasil/2001; Silva, de Beto Sporkens, dur. 19 min., Brasil/2001; O Vento das Palavras, de Luiz Arnaldo Campos, dur 20 min., Brasil/2001, leg. em português; Casa de Cachorro, de Thiago Villas Boas, dur. 27 min., Brasil/2001; Passageiros da Segunda Classe, de Luiz Eduardo Jorge, Kim-Ir-Sem e Waldir de Pina, dur. 21 min., Brasil/2001 21h ? Cientistas Brasileiros: Cesar Lattes e José Leite Lopes, de José Mariani, dur. 52 min., Brasil/2002 19 de abril (sexta-feira)19h - Dadá, de Eduardo Vaisman, dur. 20 min., Brasil/2001; Zagati, de Edu Felistoque e Nereu Cerdeira, dur. 16 min., Brasil/2001; Como se Morre no Cinema, de Luelane Loiola Corrêa, dur. 20 min., Brasil/2002; Eliane, de Ana Carolina Maciel e Caco Souza, dur. 33 min., Brasil/2002 21h - À Margem da Imagem, de Evaldo Mocarzel, dur. 90 min., Brasil/2002 23h - VinteDez, de Francisco Cesar Filho e Tata Amaral, dur. 26 min., Brasil/2001 24h - Jazz Visto, de Julian Benedikt, dur. 80 min., Alemanha-EUA/2001 20 de abril (sábado)19h - Marighella, Retrato Falado, de Sílvio Tendler, dur. 56 min., Brasil/2001 21h - A Cobra Fumou, de Vinícius Reis, dur. 90 min., Brasil/2002 23h - Nasceu o Bebê Diabo em São Paulo, de Renata Druck, dur. 75 min., Brasil/2002 21 de abril (domingo) 15h - À Margem da Imagem, de Evaldo Mocarzel, dur. 90 min., Brasil/2002 17h - A Cobra Fumou, de Vinícius Reis, dur. 90 min., Brasil/2002 19h - Nasceu o Bebê Diabo em São Paulo, de Renata Druck,dur. 75 min., Brasil/2002 21h - Cientistas Brasileiros: Cesar Lattes e José Leite Lopes,de José Mariani, dur. 52 min., Brasil/2002 Centro Cultural São Paulo - Lima Barreto (R. Vergueiro, 1.000. 3277-3611).16 de abril (terça-feira) 19h - Berlim: Sinfonia de uma Metrópole, de Thomas Schat,dur. 80 min., Alemanha/2002, sem diálogo 17 de abril (quarta-feira) 17h - Carmem Miranda - Banana Is My Business, de Helena Solberg, dur. 91 min., Brasil-EUA/94 19h - Samba Riachão, de Jorge Alfredo, dur. 80 min., Brasil/2001 18 de abril (quinta-feira) 17h - Glauces, Estudo de um Rosto, de Joel Pizzini, dur. 30 min., Brasil/2001 19h - Timor Lorosae - O Massacre que o Mundo não Viu, deLucélia Santos, dur. 75 min., Brasil/2000 19 de abril (sexta-feira) 17h - Carmem Miranda - Banana Is My Business, de Helena Solberg, dur. 91 min., Brasil-EUA/94) 19h - A Vida em Cana, de Jorge Wolney Atalla, dur. 69 min., Brasil/2001 20 de abril (sábado) 17h - A Vida em Cana, de Jorge Wolney Atalla, dur. 69 min., Brasil/2001 19h - Sobras em Obras, de Michel Favre, dur. 76 min., Brasil-Suíça/98 21 de abril (domingo) 17h - Timor Lorosae - O Massacre que o Mundo não Viu, de Lucélia Santos, dur. 75 min., Brasil/2000 19h - Sobras em Obras, de Michel Favre, dur. 76 min., Brasil-Suíça/98) Cinusp Paulo Emílio (R. do Anfiteatro, 181, Colméia, Favo 4, Cidade Universitária. 3091-3540).17 de abril (quarta-feira) 16h e 19h - O Evangelho Segundo Jece Valadão, de Joel Pizzini,dur. 55 min., Brasil/2001 18 de abril (quinta-feira) 16h e 19h - O Jogo de Cuba, de Manuel Martín Cuenca, dur. 93 min., Cuba-Espanha/2001 19 de abril (sexta-feira) 16h - Fujimori e Montesinos - O Ditador e seu Duplo, de Yves Billón e Antonio Wagner, dur. 52 min., França/2002, leg em inglês 19h - Timor Lorosae - O Massacre que o Mundo não Viu,de Lucélia Santos, dur. 75 min., Brasil/2001

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.