Começa a maratona de filmes do Festival do Rio

Vai haver tapete vermelho e tudo. Os colunáveis do Rio artístico e econômico desfilam esta noite na Cinelândia, onde o Cine Odeon BR, mais uma vez, fornece o cenário para a abertura do maior evento cinematográfico da cidade e um dos maiores do País. O Festival do Rio 2003 vai exibir cerca de 300 filmes distribuídos por 21 seções, em 37 pontos espalhados do centro à zona sul e à zona norte. São realmente "pontos" de exibição. Alguns são cinemas de rua, como o Odeon, onde ocorrem as sessões de gala. Outros são cinemas de shoppings, mas há também as lonas culturais, que a prefeitura do Rio leva à periferia para mostrar espetáculos e que até o dia 9 vão mostrar a fina flor da produção de filmes deste ano, em todo o mundo.Panorama do Cinema Mundial, Première Brasil, Première Latina, Première América, Mundo Gay, Midnight Movies, Expectativa 2003, Geração Futura, Loucos por Cinema, O Bonequinho Viu, Tesouros da Cinemateca, Mostra Orson Welles, Os 75 Anos de Mickey, Mostra Olhos Negros, Cinema Capacete. O festival atualiza o público com as novas tendências da produção mundial, exibe programas para todos os gostos. E há o Foco, que coloca em destaque uma cinematografia importante. Em 2003, os holofotes vão para a Itália e o foco vai exibir o que há de mais representativo na produção italiana recente. Um dos destaques (o destaque?) da seleção é o novo filme de Marco Bellocchio, Buongiorno, Notte, que vai trazer ao Brasil o próprio autor no dia 4. O foco vem acompanhado de uma retrospectiva de Mario Monicelli, incluindo 16 dos melhores filmes do diretor e mais uma programação destinada a lembrar Federico Fellini, o mestre que morreu há dez anos. Serão três documentários, incluindo Fellini, Eu Sou Um Grande Mentiroso, de Damian Pettigrew - que estréia em São Paulo na sexta-feira da semana que vem -, e uma exposição de desenhos do grande artista.Orçado em R$ 8 milhões, o Festival do Rio 2003 tem o patrocínio da Petrobrás Distribuidora e da prefeitura do Rio, que bancam R$ 5,6 milhões. Os restantes R$ 2,4 milhões vêm por meio de parcerias e serviços. Ilda Santiago, do Grupo Estação e do Cima, que realizam o Festival do Rio, sobe mais uma vez ao palco do Odeon para dizer aquilo que está anunciado no próprio slogan do evento - O Rio é coisa de cinema - e também aquilo que você percebe de cara: festivais como esse colocam o Brasil na rota dos grandes marcos de cinema do mundo. Em São Paulo, a Mostra Internacional de Cinema também vai trazer grandes filmes em outubro, mas o Festival do Rio tem mais glamour. Faz parte do charme da cidade que se orgulha de ser "maravilhosa".Entre as novidades do festival de 2003, a Première Brasil deixa de dar prêmios em dinheiro, mas torna-se uma mostra competitiva. O dinheiro nunca constou da verba oficial do evento, sendo dado diretamente pela BR Distribuidora, que resolveu cortar custos. Algumas pérolas do Panorama do Cinema Mundial: Dogville, de Lars Von Trier; Seu Irmão, de Patrice Chéreau; As Maletas de Tulse-Luper - Parte 1: A História de Moab, de Peter Greenaway; Às Cinco Horas da Tarde, de Samira Makhmalbaf; e Elefante, de Gus Van Sant, que ganhou a Palma de Ouro, em maio. A Première América traz o melhor do cinemão: Violação de Conduta, de John McTiernan, e Os Vigaristas, de Ridley Scott. Na Première Latina, um dos destaques será o novo filme de Juan José Campanella, o diretor de O Filho da Noiva. Chama-se El Mismo Amor, la Misma Lluvia, mas também é bom prestar atenção ao belíssimo Lugares Comunes, de Adolfo Aristarain, premiado no recente Festival de Gramado - Cinema Brasileiro e Latino.Serão 16 dias de festa para cinéfilos, com projeções, debates, sessões de autógrafos. Convidados importantes já confirmaram presença no Festival do Rio 2003: Bellocchio, Samuel L. Jackson, Catherine Hardwicke, Elia Suleiman, Vincent Gallo. E tudo começa hoje com o tapete vermelho estendido para a exibição do novo filme de Sofia Coppola. A talentosa filha de Francis Ford apresenta Perdidos em Tóquio. O Rio vira, de fato, coisa de cinema. E você pode acompanhar o festival pelo site oficial: www.festivaldorio.com.br, que fornece tudo, de informações sobre permanentes e programação até o dia-a-dia, com as repercussões na imprensa e a movimentação de convidados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.