Começa a maratona de cinema: 280 filmes em 7 dias

A 17ª. Mostra do Audiovisual Paulista que começa hoje e vai até domingo deve exibir, ao longo da semana, 280 títulos, feitos nos mais variados formatos. São 49 curtas, 44 videoficções, 37 programas e séries para televisão, 44 documentários, 27 trabalhos de um minuto, 24 vídeos experimentais, 8 animações e 6 produções em super-8. "A produção vinda das periferias das grandes metrópoles tornou-se tão importante que tivemos de adaptar a mostra, que era anual, à nova realidade", diz o organizador Francisco César Filho. A Mostra do Audiovisual Paulista também amplia seu circuito exibidor em direção à periferia e realiza projeções em escolas públicas de Ermelino Matarazzo, Itaim Paulista e São Miguel Paulista, assim, como na Praça do Projeto Aprendiz e nas unidades dos Centros Educacionais Unificados de Butantã, Cidade Dutra, Cidade Tiradentes, Guaianases, São João Clímaco, São Mateus e Vila Curuçá. Serão três eventos de "abertura". O de hoje, só para convidados, será no Centro Cultural Banco do Brasil, mostrando, entre outros títulos, Cura-Dor, de Beto Brant. Na mesma sessão, serão exibidos também - A Lata, de Leropoldo Nunes, sobre personagens da noite de São Paulo; Desirella, videoanimação do jovem Carlos Eduardo Nogueira; e Ampla Visão de São Paulo - Trailer, de Eugênio Puppo e Ricardo Corioba. Amanhã, terça-feira, ocorre nova inauguração, no CineSesc. O ponto alto é o curta Abry, que Joel Pizzini fez em parceria com Paloma Rocha, a filha de Glauber. Na quarta, outra "abertura" no Museu da Imagem e do Som (o MIS), com, entre outros, Incompatibilidade de Gênios, de Farid Tavares, e Freeman, produção da O2 dirigida por Victor Caesar Botta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.