Reprodução Facebook
Reprodução Facebook

Com experiência em shows e eventos, Bruno Graça Melo Côrtes é o novo secretário do Audiovisual

A secretaria do Audiovisual tem duas unidades: o Centro Técnico Audiovisual, no Rio, e a Cinemateca Brasileira, que enfrenta sérios problemas

Redação, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2020 | 07h45

Bruno Graça Melo Côrtes foi nomeado nesta quinta, 20, para exercer o cargo de Secretário Nacional do Audiovisual, da Secretaria Especial de Cultura. A portaria foi assinada pelo ministro chefe da Casa Civil, Braga Netto, e publicada no Diário Oficial.

Ex-executivo da Som Livre, onde atuou por 13 anos até janeiro de 2019, na área de shows, ele era, desde então, diretor executivo de Projetos da Apresenta Rio - Associação dos Promotores de Eventos do Setor de Entretenimento e Afins. Antes, trabalhou na área de vendas de de marketing da Kaiser e da Ambev.

Côrtes destaca em seu currículo que, nesta Associação, foi responsável por liderar a realização do primeiro grande congresso da Apresenta, o Apresenta Rio Summit 2019, que reuniu representantes do poder público fluminense, associações de classe e setor privado em discussões sobre os temas importantes do setor do entretenimento

Ligada à Secretaria Especial da Cultura, a Secretaria Nacional do Audiovisual tem duas unidades: o Centro Técnico Audiovisual, no Rio de Janeiro, e a Cinemateca Brasileira, em São Paulo, que enfrenta sérios problemas e para onde Regina Duarte iria, mas ainda não foi, depois de deixar o posto de secretária da Cultura. 

As competências da secretaria são, segundo a própria secretaria, a formação, produção inclusiva, regionalização, difusão não-comercial, democratização do acesso e preservação dos conteúdos audiovisuais brasileiros. Ela é responsável por diversos editais de fomento à produção audiovisual brasileira e também pela fiscalização da execução das metas firmadas entre a Secretaria Especial e a Ancine.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.