Columbia e Mais Filmes fecham parceria

A Columbia Tristar Buena VistaFilmes do Brasil, distribuidora para o mercado de cinemas noBrasil dos estúdios Columbia e Disney, oficializou hoje umaparceria com a Mais Filmes, empresa cinematográfica dos sóciosAdhemar Oliveira, Leon Cakoff, Renata de Almeida, PatríciaDurães e Eliane Monteiro. Pelo acordo, nos próximos meses oscinemas brasileiros receberão filmes da América Latina e dealguns países da Europa (Espanha, Alemanha e Itália) e Ásia,onde a Columbia mantém uma estrutura de co-produção ou apenasdistribuição. "Cerca de 20 longas com estas características já estãoprevistos para serem lançados nos próximos 14 meses", comentaRodrigo Saturnino Braga, diretor-geral da Columbia Buena Vista.O início da parceria ocorre já na sexta-feira, com a estréia doitaliano O Último Beijo, de Gabriele Muccino. Para os mesesseguintes, estão programados O Americano Tranqüilo(fevereiro), Kamchatka e O Que Fazer em Caso de Incêndio(março), Corazón del Fuego e Wasabi (abril), Todas lasAzafatas Van al Cielo e Apasionados (maio).O interesse surgiu quando Braga decidiu reservar um trabalho específico paraos filmes que não exigem lançamentos gigantescos. "Há longasproduzidos na Argentina, Espanha, México, Alemanha, nos quais aempresa tem participação, que poderiam atender a um mercado jáexistente no Brasil." O acordo revelou-se favorável para a Mais Filmes,empresa que naturalmente despontou como opção para a Columbia."Ao ter a garantia de exibição de filmes que normalmenteprocuraríamos, nos permite cuidar de outras necessidades, como aabertura de mais salas de exibição", comenta Adhemar Oliveira."E há também a vantagem econômica, pois o processo se tornamais viável." Outro fator determinante é o tempo que as empresasprogramam para constatar os resultados - enquanto a Columbiadedica três meses para testar o mercado de um filme, a MaisFilmes chega a esperar até um ano. "A diferença está no númerode cópias em circulação", conta Braga que, para considerar oargentino Nove Rainhas um sucesso, teve de esperar seismeses e ainda atrasar o lançamento em DVD. O fato de a Columbia dispor dos direitos de diversasproduções (a empresa cuida também dos títulos da Sony Classics)facilita a pesquisa de direitos de exibição de diversos filmes."Muitas vezes, não sabemos com quem negociar, pois não se sabeexatamente quem detém os direitos", conta Leon Cakoff,que acredita que será auxiliado na busca de títulos para a MostraBR de Cinema. Pelo acordo, a Mais Filmes será responsável pelaprogramação e divulgação dos longas em todo o Brasil. Assim,haverá um aumento na circulação de filmes argentinos, espanhóis,alemães e asiáticos em geral, e apenas alguns americanos. "Comoo que nos interessa é a produção independente, teremos cerca de10% de filmes americanos na lista", comenta Braga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.