Metro Goldwyn Mayer
Metro Goldwyn Mayer

Cole Porter criou músicas inesquecíveis, que enriqueceram belíssimos filmes

Suas músicas estão em obras como ‘Meia-Noite em Paris’, de Woody Allen, e ‘De-Lovely’, de Irwin Winkler

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2019 | 10h20

Cinéfilos devem se lembrar da cena antológica em Meia-Noite em Paris. Os americanos da geração perdida, os intelectuais do mundo cujas histórias se cruzaram na cidade chamada de “Luz”, nos ruidosos anos 1920. Hemingway, Picasso, Luis Buñuel, Scott Fitzgerald (interpretado por Tom Hiddleston!) e Cole Porter. Yves Heck é quem fazia o papel. Muitos anos antes, em Todos Dizem Eu Te Amo – Veneza! , Woody Allen já colocara canções de Cole Porter (Looking at You) em sua trilha.

Cole Porter tornou-se uma lenda da música dos EUA, e o diretor Irwin Winkler biografou-o num filme para TV (De-Lovely) que olha o personagem como protagonista de um daqueles shows que ele abrilhantou ao longo da vida. Kevin Kline mostrava que não é a semelhança física que conta, mas “the real thing”. Ele assume a verve, o espírito, a inteligência do compositor, que foi letrista sofisticado e ritmista brilhante, atraído por formas complexas. E a trilha – Anything Goes, It’s De-Lovely, Night and Day. O filme aborda a tumultuada relação de Porter com a mulher, Linda Lee/Ashley Judd. Aborda até a homossexualidade.

Esse grande artista criou músicas inesquecíveis, que compõem a trilha sonora de belíssimos musicais. Kiss Me Kate, a versão cantada e dançada de A Megera Domada, por George Sidney – Always True To You in My Fashion, a jazzística Brush Up Your Shakespeare. E Can-Can, de Walter Lang – I Love Paris, C’est Magnifique. Magnífico era o próprio Cole Porter.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Cole Portercinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.