Co-produtor de "A Lista de Schindler" é condenado

Co-produtor de A Lista de Schindler, o polonês Lew Rywin foi julgado hoje culpado por fraude, sentenciado a dois anos e meio de prisão e condenado a pagar uma indenização de 100 mil zlotys (R$ 72 mil, aproximadamente). Rywin ainda está em liberdade, porém, à espera de um último recurso contra o veredicto da Corte de Varsóvia, anunciado hoje.O caso de Rywin é parte de um escândalo de corrupção que abalou o país. O produtor foi acusado de se fazer passar por representante do primeiro-ministro Leszek Miller ao achacar uma empresa de comunicação, a Agora SA, em 2002. Em trocado do suborno de US$ 17,5 milhões, ele prometia fazer lobby para permitir que o grupo adquirisse outra empresa de comunicação.Após cinco meses de julgamento, a Corte decidiu que Rywin, 58 anos, agiu unicamente em proveito próprio. O escândalo também levou o Parlamento a abrir investigações. Nada mais foi esclarecido sobre corrupção nas altas esferas políticas, mas as investigações derrubaram a popularidade de Miller e de sua Aliança da Esquerda Democrática, pouco antes de o país entrar para a União Européia.

Agencia Estado,

26 de abril de 2004 | 11h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.