Divulgação
Divulgação

Clooney está em comédia 'Homens que Encaravam Cabras'

Astro vive oficial do Exército americano em uma unidade que pesquisa poderes paranormais em suas ações

Reuters,

25 de março de 2010 | 20h30

SÃO PAULO (Reuters) - Parece piada mas há quem garanta que algum dia foi verdade: em passado não muito distante, o governo dos EUA recrutou videntes e místicos para desenvolver supostos poderes extrassensorias em militares, que os usariam em missões secretas.

 

video Trailer de "Os Homens Que Encaravam as Cabras"

 

 

Ao menos, é isso o que sustentam livros como o bestseller "Os Homens que Encaravam Cabras" de Jon Ronson, que serviu sob medida para decolar o roteiro de Peter Straughan. Ele é a base da comédia de humor negro do mesmo nome, que marca a estreia na direção do ator Grant Heslov ("Boa Noite e Boa Sorte").

 

Diretor e ator de "Boa Noite e Boa Sorte", George Clooney é um dos protagonistas. Ele interpreta o ex-soldado Lyn Cassidy, que está no Kwait em 2003, tentando entrar no Iraque, onde teria uma missão secreta a cumprir.

 

É num hotel nesse país que ele conhece o jornalista Bob Wilton (Ewan McGregor), que está afundando as mágoas do casamento fracassado à procura da adrenalina da cobertura da guerra.

 

Embora o olhar esbugalhado de Cassidy não autorize a ter confiança no seu equilíbrio emocional, Wilton resolve acompanhá-lo quando ele decide entrar no Iraque por sua conta. Pelas vias oficiais, a viagem poderia demorar muito ou nem acontecer.

 

O trajeto de jipe pelo deserto é mais conturbado do que o jornalista imaginava e não exatamente por terem cruzado com milícias ameaçadoras. Os hábitos de Cassidy, na verdade, são estranhos. Ele se dedica à meditação e diz que pode controlar as nuvens.

 

Quando o jornalista quer saber que armas trouxeram para a sua defesa, ele responde: "Somos Jedis, não lutamos com armas". A piada extra é que o personagem de Ewan McGregor, que interpreta Obi Wan Kenobi nas "prequels" da nova saga "Star Wars", de George Lucas, aqui desconhece o que seja um cavaleiro Jedi...

 

A jornada de Cassidy e Wilson no deserto iraquiano corre paralela à revelação de maiores detalhes sobre o nascimento do Exército da Nova Era, uma unidade ultrassecreta do Exército norte-americano.

 

Criada em meados dos anos 70, a companhia teria deflagrado o seu tipo peculiar de corrida armamentista com os soviéticos, estudando o uso de atividades paranormais para fins de espionagem. O objetivo era que soldados pudessem desenvolver dons como atravessar paredes, ficarem invisíveis e matarem uma cabra com um simples olhar.

 

Comandada pelo general Hopgood (Stephen Lang) - que tenta atravessar paredes, sem muito sucesso -, a unidade faz treinamentos bem estranhos aos métodos militares. O general Bill Django (Jeff Bridges, de "Coração Louco"), um verdadeiro hippie, especializa-se em comandar sessões de dança e uso do LSD entre seus soldados, para relaxamento das energias.

 

Nem todo mundo aprecia essas novas técnicas, muito menos todo o protagonismo de Django. Um deles é o coronel Larry Hooper (Kevin Spacey), que não mede esforços para voltar para si o foco das atenções. Em breve, Cassidy e o jornalista Wilton vão reencontrar todo esse time ainda em ação, em pleno deserto iraquiano. Tomara que seja apenas uma licença da imaginação do roteirista. (Por Neusa Barbosa, do Cineweb)

Mais conteúdo sobre:
'Homens que Encaravam Cabras'

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.