Clint Eastwood recebe Palma de Ouro honorária na França

A França tem uma relação de amor e ódio com Hollywood, mas Eastwood é reverenciado por lá

ELIZABETH PINEAU, REUTERS

26 de fevereiro de 2009 | 15h14

O festival de cinema de Cannes deu a Clint Eastwood  um prêmio pelo conjunto da obra. O ator e diretor, uma lenda de Hollywood, lançou seu filme mais recente aos 78 anos.  Ao agradecer o prêmio, Clint Eastwood  prestou uma homenagem ao cinema francês.   Veja também: Leia a íntegra da nota do festival no Blog do Merten "Os cineastas franceses neste país sempre me apoiaram ao longo da minha carreira", disse ele a repórteres depois de um cerimônia especial em um restaurante fino perto da avenida Champs-Elysées. "Sou muito sortudo por ter conhecido todos vocês." O maior festival de cinema do mundo deu uma Palma de Ouro especial para Eastwood, cujo filme A Troca, com Angelina Jolie no elenco, foi exibido em Cannes no ano passado. "Com este gesto altamente simbólico, o festival está retribuindo o entusiasmo unânime que tanto o público quanto a crítica nutre por vocês", disse Jacob. "Às vezes acontece de a pessoa ser um excelente artista, mas um ególatra desvairado. Não é o caso de vocês." A França tem uma relação de amor e ódio com Hollywood. Mas Eastwood é reverenciado por seus papéis de pistoleiro nos filmes de faroeste dos anos 1960, pelo papel do detetive Dirty Harry e por personagens mais simpáticos, como o atirador arrependido de Os Imperdoáveis. Em Paris para divulgar seu novo filme, Gran Torino, no qual interpreta um veterano de guerra reacionário que é forçado a conviver com dois vizinhos asiáticos, Eastwood não poupou elogios ao cinema francês. "A França é onde o cinema começou, com os irmãos Lumiére", disse. "É o primeiro país onde o cinema se aproximou da arte." Gran Torino tem recebido críticas boas na França, atraindo cerca de 18 mil espectadores na tarde de seu lançamento, na quarta-feira, de acordo com a distribuidora do filme, a Warner. Esse é o melhor desempenho de uma estréia de Eastwood na França. O ator e diretor, cuja carreira deslanchou depois do papel de Rowdy Yates, na série de TV Rawhide, lembrou-se com afeição de sua primeira visita à capital francesa, para promover um de seus filmes mais culturados até hoje. "Eu vim pela primeira vez a Paris no meio dos anos 1960, para o Rex Theatre, por causa de 'Por um punhado de dólares', um filme pequeno, de um diretor desconhecido, com um ator desconhecido", afirmou. "Felizmente, deu certo e Sergio Leone virou um favorito aqui", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
FILMEEASTWOODFRANÇA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.