Divulgação
Divulgação

Cinquenta Tons de Cinza arrecada mais de R$ 1,5 bilhão em bilheteria

No Brasil, filme rendeu pouco mais de R$ 69 milhões à Universal Pictures

O Estado de S.Paulo

06 Março 2015 | 12h41


Primeiro filme da saga literária da britânica E.L. James, Cinquenta Tons de Cinza atingiu a marca de R$ 1,5 bilhão em bilheteria global, informou a Universal Pictures em comunicado à imprensa americana.

Deste total, R$ 447 milhões vieram dos cinemas norte-americanos e o restante soma o acumulado no resto do mundo. Só aqui no Brasil, o filme rendeu pouco mais de R$ 69 milhões. Com o resultado, Cinquenta Tons de Cinza se torna o filme da categoria R (voltado para maiores de 17 anos) mais lucrativo da história da Universal.

Embora o efeito nos cofres seja altamente positivo, é de se estranhar que a Universal ainda não tenha anunciado a data de lançamento de Cinquenta Tons Mais Escuros, referente ao segundo livro da trilogia. Sequer convocou os protagonistas para estipular uma data para iniciarem as gravações.

Um dos motivos que tem gerado o atraso é a indefinição da permanência de Sam Taylor-Jhonson como diretora. Os conflitos com a autora, nos bastidores das filmagens, foram intensos e frequentes. E.L. James acompanhou todo o processo e interferiu bastante no roteiro e direção do longa.

Outra razão é a possível saída de Jamie Dornan - o Christian Grey - da franquia. A imprensa americana publicou notícias sobre o descontentamento do ator com a repercussão de sua atuação e a falta de química com Dakota Johnson, intérprete de Anastasia Steele. Além disso, ele teria inflacionado seu cachê, elevando de R$ 355 mil (valor recebido por Cinquenta Tons de Cinza) para R$ 20 milhões no próximo longa.

Mais conteúdo sobre:
Cinquenta Tons de Cinzacinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.