Divulgação
Divulgação

CineSesc SP exibe destaques dos cinemas em 2014 a preços populares

'Praia do Futuro' e 'Tim Maia' são os destaques; veja programação

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

10 Dezembro 2014 | 10h27

Texto atualizado às 15h do dia 11/12

Pelo 15.º ano consecutivo, e agora com curadoriace de Neuisa Barbosa, Tiago Stivaletti e Christian Peterman, o CineSesc está realizando desde o dia 8 a retrospectiva do cinema brasileiro em 2014. Não se trata de recolocar todos os filmes lançados no ano em cartaz, e o próprio período pega uma parte de 2013 - são os filmes lançados entre novembro do ano passado e outubro deste ano. Isso significa que o melhor brasileiro de 2013, para o Estado - São Silvestre, de Lina Chamie, estreado no fim do ano e absolutamente inclassificável -, integra a retrospectiva de 2014. Ocorre a mesma coisa na votação da APCA, Associaçãso Paulista dos Críticos de Arte, que joga para o ano seguinte os eventos, não só lançamentos de cinema, de dezembro.

Num total de 102 títulos, a curadoria selecionou 43. Sua justificativa - "Numa cinematografia como a brasileira, que cresce em qualidade e quantidade a cada ano, a responsabilidade pela seleção de um conjunto de títulos que possa representar essa diversidade aumenta na mesma medida." Em termos de mercado, o sucesso das comédia continuou em 2014. Mas houve bons dramas e uma considerável fatia de filmes de autor que investiram na experimentação estética. O melhor brasileiro do ano foi Praia do Futuro, de Karim Ainouz. O representante brasileiro para uma vaga no Oscar foi Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, de Daniel Ribeiro, outro dos melhores do ano na lista que o Estado ainda vai divulgar. Ambos integram a seleção, com filmes de gênero como O Lobo Atrás da Porta, de Fernando Coimbra, e documentários como o poderoso Mataram Meu Irmão, de Cristiano Burlan.

Bons filmes que clamam por revisão - Setenta, de Emilia Silveira; O Mercado de Notícias, de Jorge Furtado; e o vibrante Dominguinhos, de Mariana Aidar, Eduardo Nazarian e Joaquim Castro, todos documentários. E os dramas - De Menor, de Caru Alvesa de Souza; Entre Nós, de Paulo Morelli; Educação Sentimental, de Júlio Bressane; Getúlio, de João Jardim; O Homem das Multidões, de Marcelo Gomes e Cao Guimarães; e Tatuagem, de Hilton Lacerda. Algumas obras são mais difíceis de classificar. É o caso de Doce Amianto, de Guto Parente e Uirá dos Reis. E como não existe cinema sem formação de público, há que (re)ver os infantis - O Menino no Espelho, de Guilherme Fiúza; e O Menino e o Mundo, animação de Alê Abreu que, por sinal, está em cartaz em Paris, com sucesso de público e crítica.

Programe-se. Quinta, passam Getúlio (15 h) e Tim Maia (21 h). Sexta, O Homem das Multidões (15 h); Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (21 h); e Entre Nós (23 h). No sábado, Doce Amianto (15 h); Praia do Futuro (19 h); e Tatuagem (21 h). Domingo, O Mercado de Notícias (17 h); De Menor (19 h); e Dominguinhos (21 h).

Os destaques

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho

Praia do Futuro

Tim Maia

Boa Sorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.