CineSesc estréia sessão maldita com filme italiano

Se você acha que A Bruxa de Blair é original, claro que nunca viu Canibal Holocausto, filme de Ruggero Deodato de 1980, em que quatro repórteres partem em busca das últimas tribos canibais da Amazônia. Desaparecem e, mais tarde, são encontrados filmes que documentam cenas particularmente impressionantes - mulheres violentadas ou escalpeladas vivas, um parto primitivo, canibalismo. O filme foi a base para A Bruxa de Blair e a única coisa que a dupla de diretores Daniel Myrick e Eduardo Sánchez fez de novo foi colocar seu filme na internet, o que não foi pouco. Há um culto a Canibal Holocausto. Você poderá conferir o porquê numa nova programação que se inicia no CineSesc. Sob o comando do diretor Carlos Reichenbach, a sala da Rua Augusta vai ressuscitar as velhas sessões malditas que sempre fizeram sucesso entre os cinéfilos. O HSBC também tem sua sessão maldita (na segunda sexta-feira do mês). A do CineSesc vai se chamar Sessões Duplas do Comodoro, sempre na primeira quarta-feira do mês, com início à meia-noite. O programa da primeira sessão dupla, na próxima quarta, dia 7, será formado justamente por Canibal Holocausto e por Santa Sangre, do cineasta pânico (e quadrinhista, romancista) Alejandro Jodorowsky. É um dos filmes mais mórbidos já feitos e, apesar disso - ou por isso mesmo -, virou cult total. Como declara Brian Yuzna no prefácio de Eaten Alive!, de Jay Slater, dedicado inteiramente aos ´italian cannibal movies´, o primeiro canibal italiano a gente não esquece. Para cinéfilos formados na escola de Luchino Visconti e Roberto Rossellini, os canibais italianos serão sempre difíceis de aceitar. Mas se arrisca a perder o bonde da história quem não quiser, pelo menos, saber o que há de sério por trás da tendência. Cinesesc - Rua Augusta, n.º 2075, Cerqueira César. Telefone: 3082-0213

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.