Cinemateca exibe documentários clássicos

A Cinemateca Brasileira remexe novamente em seu acervo e exibe de hoje até o dia 28 uma seleção de clássicos de documentaristas pioneiros. Trata-se da mostra Cinema e Verdade. Abre hoje o ciclo, a produção russa A Sexta Parte do Mundo, filmada em 1926 por um dos precursores do gênero, Dziga Vertov. Na seqüência, o curta brasileiro O Tigre e a Gazela, de Aloysio Raulino, de 1975. Brasil Verdade, de 1968, encerra a programação desta quarta. São quatro episódios, dirigidos por Manoel Horácio Gimenez, Geraldo Sarno, Maurice Capovilla e Paulo Gil, dando voz a sambistas, migrantes, torcedores de futebol e ex-cangaceiros.Ao lado dos documentários, aparecem também na seleção alguns registros ficcionais, mas de forte verossimilhança e claro conteúdo crítico. É o caso do road-movie Iracema, uma Transa Amazônica, cartaz de amanhã, de Jorge Bodanzky e Orlando Senna. O filme aproveita a história de um caminhoneiro que dá uma carona a uma índia prostituída para falar de desmatamento florestal, conflitos pela terra e exclusão social. Na sexta-feira, dois clássicos: Tabu, de Murnau e Robert Flaherty, de 1931, sobre dois jovens amantes de Bora Bora tentando escapar às tradições tribais; e o festejado Drifters, do britânico John Grierson, de 1929, sobre a pesca no Mar do Norte. A programação completa pode ser vista no site da Cinemateca.Cinema e Verdade - Sala Cinemateca, Largo Senador Raul Cardoso, 207, Vila Mariana, tel.: 5084-2318. Ingresso: R$ 6,00. Até 28 de fevereiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.