Tiago Queiroz/ Estadão
Tiago Queiroz/ Estadão

Cinemas já definiram roteiro da reabertura, à espera do sinal verde da Prefeitura

Além dos cuidados com segurança e saúde, alguns pontos preparam ofertas que podem atrair mais público

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

08 de outubro de 2020 | 05h00


Como em uma largada de Fórmula 1, diversas entidades culturais esperam o sinal verde para darem a largada. Salas de cinema, teatros, museus, galerias, todos aguardam o anúncio oficial do prefeito Bruno Covas (PSDB), que, na sexta-feira, 9, deve determinar a mudança de fase da cidade, para a Verde, o que permite a reabertura dos equipamentos que estiverem de acordo com os protocolos de segurança e saúde.

As salas de cinema estão mais bem preparadas para o recomeço. O Petra Belas Artes, por exemplo, tem até uma programação já definida caso aconteça a liberação: será a partir do sábado, 10, com quatro de suas seis salas exibindo dois filmes por dia, uma sessão cada - destaques para a reprise de Matrix e a estreia de Melhores Anos de uma Vida. Também as salas que trazem a marca Itaú (na Rua Augusta e nos shoppings Frei Caneca e Bourbon) têm uma grade montada, mesclando filmes que estavam em cartaz em março com títulos do Festival De Volta ao Cinema e a estreia do longa chinês Viver para Cantar.

Já o complexo Cinépolis não tem previsão de reabertura de suas salas em São Paulo, mantendo por enquanto abertas apenas as de Campinas e Jundiaí. E o Cinemark, a maior cadeia de cinemas, planeja reabrir por enquanto apenas as salas do Shopping Market Place - a rede planeja a volta por fases, a fim de dar tempo de treinar devidamente seus funcionários. A programação de filmes está preparada, mas só será divulgada depois da liberação da cidade para a Fase Verde.

Entre as estreias que podem mexer com o mercado, a aposta está em Tenet, novo longa de Christopher Nolan. A Warner, sua distribuidora no Brasil, programou a estreia para 29 de outubro, ainda sem plano definido de quantidade de salas. Será um grande desafio, uma vez que, no mercado americano, o filme não atraiu o público esperado para a retomada lá, em setembro: nas áreas onde Tenet foi exibido nos EUA, a preocupação do público com a segurança - mesmo com a capacidade da sala limitada a 50% ou menos na maioria dos locais - provavelmente afetou as vendas de ingressos.

Isso provocou um adiamento em massa do lançamento de blockbusters, como Duna, Batman e Jurassic World, para os próximos dois anos. A reação das cadeias de cinema nos EUA e na Inglaterra foi imediata, com ameaça de fechamento temporário de todos as suas salas, o que implicaria em uma demissão em massa de funcionários.

No Brasil - e em São Paulo, em especial -, a preocupação é semelhante. Segundo dados da Federação Nacional das Empresas Exibidoras de Cinema e da Associação Brasileira de Multiplex, em 2019, os cinemas da cidade de São Paulo foram responsáveis por 23,5% do total da receita do País. Assim, se o fechamento das salas da capital continuar, o prejuízo acumulado causará fechamento de até 30% das salas de cinema do território nacional nos próximos meses. Hoje, são 3.507 salas no Brasil, número que atende apenas 58% da população do País.

Por conta disso, além dos cuidados com segurança e saúde, alguns pontos preparam ofertas que podem atrair mais público. O Petra Belas Artes, por exemplo, vai oferecer meia-entrada para quem doar um livro - trata-se de uma parceria com a Fundação Espírita André Luiz. Outra atração é a oferta de um kit com cervejas da marca do patrocinador do espaço para quem assistir a algum filme na primeira semana da reabertura.



 

VEJA OS PROTOCOLOS DE SEGURANÇA

  • Assentos intercalados determinados diretamente pelo sistema de compra dos ingressos
  • Ocupação de, no máximo, 60% da capacidade da sala
  • Distanciamento determinado nas áreas comuns
  • Consumo de produtos da bomboniere somente em sua poltrona
  • Equipe preparada com todos os equipamentos de proteção necessários
  • Higienização constante dos espaços
  • Intervalo de, no mínimo, 30 minutos de uma sessão para outra, filmes não começam no mesmo horário
  • A conferência de ingressos será visual ou através de leitores óticos, sem contato manual por parte do atendente
  • Álcool em gel disponível em todas as áreas do cinema
  • Uso de máscara obrigatório em todas as dependências
  • Ar condicionado com renovação automática do ar, ou seja, o ar externo da atmosfera é recolhido, filtrado, refrigerado e insuflado para a plateia, ao mesmo tempo que o ar quente dali é retirado, tudo por meio de redes de dutos independentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.