Cinema na Internet: aberto 1º festival brasileiro

O Brasil é pela primeira vez palco de um tipo bem diferente de festival. Trata-se do Brasil Digital, o 1º Festival Brasileiro de Cinema na Internet, que coloca em competição 30 curtas-metragens em categorias diferentes, todos disponíveis na rede, gratuitamente. Ou seja: basta ter computador conectado à Internet e um plug-in Real Player instalado, que qualquer um pode ver os filmes e, inclusive, votar naquele de sua preferência.Os filmes concorrem em três categorias diferentes: animação, no módulo Animatec; ficção e experimentais, no módulo E-Cinema; e documentários no módulo .Doc. E uma mostra não-competitiva, chamada Paralelo 00, apresenta dez filmes, que entre os inscritos não-selecionados mereceram destaque da organização.As fitas originais foram enviadas em formatos variados, incluindo 35 milímetros, gravações em Beta e em vídeo digital. Com exceção das animações em formato Flash, todos os filmes foram digitalizados pela própria organização, para que assim não houvesse comprometimento na qualidade da imagem de um certo curta, quando comparada a outro.Estrutura - O festival deve durar 30 dias, enquanto são apurados os votos do público e júri oficial, sistema que passou por algumas mudanças nas últimas semanas. O júri popular escolhe o melhor de todas as categorias, e o júri oficial elege os melhores de cada categoria - essas cadeiras são ocupadas por Amir Labaki, jornalista e diretor do festival É Tudo Verdade; Arlindo Machado, doutor em comunicações e professor da PUC-SP e USP; o cineasta Carlos Richenbach; o diretor, videomaker e apresentador Marcelo Tas; e Léa Beatriz Zagury, diretora e fundadora do festival Anima Mundi. O guia virtual Justoaqui deve fornecer para cada um dos ganhadores uma câmera digital profissional.Para ver os curtas, ao entrar na home do Brasil Digital, procure pelos links de acordo com a categoria. Cada filme é apresentado por uma ficha técnica, uma breve sinopse e informações gerais. Há duas velocidades disponíveis para assistir: 56k, para computadores conectados à rede por modem de 56kbps, e BLarga, para máquinas que estejam na rede em conexão rápida. Ao abrir a janela de qualquer um dos filmes concorrentes, aparece também o link para a seção de votos.O voto contabilizado pela organização é identificado pelo e-mail do eleitor, e este só pode votar em um curta entre todas as categorias. Portanto, pense bem no voto que está enviando, pois ele não poderá se repetir.Na home ainda há uma seção de links com vários endereços de outros festivais de Internet, distribuidoras de curtas pela rede, e sites que ensinam como fazer seu próprio filme. Na seção What´s Up? o visitante pode ler matérias variadas sobre o cinema digital e tecnologia streaming. E falando em streaming, um glossário também ajuda o cidadão pouco tecnológico a entender alguns dos termos recorrentes desse mundo.

Agencia Estado,

16 de novembro de 2000 | 21h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.