Cinema mostrará mais uma vez a vida de Che Guevara

A vida de Ernesto Che Guevara voltará a invadir as telonas, desta vez em dois filmes dirigidos por Steven Soderbergh, com Benicio del Toro no papel do lendário revolucionário. Segundo publicou nesta quarta-feira a revista Variety, trata-se de uma co-produção franco-espanhola rodada principalmente em espanhol no México e em outras regiões da América Latina.Além do porto-riquenho Del Toro, no elenco dos longas estão o espanhol Javier Bardem, a alemã Franka Potente, a britânica Julia Ormond e o californiano de origem peruana Benjamin Bratt.Os dois filmes retomarão a história da vida do revolucionário argentino morto nas selvas bolivianas do ponto em que termina o filme Diários de Motocicleta. O filme de 2004 de Walter Salles, com Gael García Bernal no papel de Che, se centrou na juventude do herói guerrilheiro.História dos dois filmesO primeiro dos filmes de Sorderbergh, intitulado The Argentine (ainda sem título em português), parte da chegada de Guevara e outros exilados, entre eles o atual dirigente cubano Fidel Castro, ao litoral de Cuba em 1956 para derrubar o regime de Fulgencio Batista.Guerrilla (também sem título em português), o segundo filme, começará com o discurso que Guevara fez nas Nações Unidas em 1964.O projeto cinematográfico começou em 2000, durante a produção de Traffic, filme em que Soderbergh e Del Toro trabalharam juntos e que lhes rendeu o Oscar de melhor diretor e melhor ator coadjuvante, respectivamente. No entanto, o processo foi adiado pela estréia de Diários de Motocicleta e pela desistência de Terrence Malick de dirigir o projeto que Soderbergh queria produzir com Del Toro como protagonista. Mesmo assim, tanto Soderbergh como Del Toro manifestaram o tempo todo seu desejo de continuar a produção e se mostraram confiantes no interesse do público em novos projetos sobre o lendário líder latino-americano.Partes envolvidas no projetoSoderbergh já começou a rodar e espera-se que a filmagem no México comece em maio do ano que vem.Del Toro também é responsável pela tradução para o espanhol dos roteiros dos filmes, assinados por Peter Buchman.A produção de US$ 70 milhões conta com o grupo francês Wild Bunch como principal fonte de financiamento.A produtora Morena Films e a cadeia Telecinco, ambas espanholas, negociam a participação como sócios minoritários na produção, segundo a Variety.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.