Cinema indie ganha ação contra veto dos estúdios

Um juiz federal condenou hoje uma decisão da indústria do cinema que bania o envio de cópias de filmes aos membros votantes dos principais prêmios, entre eles o Oscar. Os grandes estúdios alegavam que o veto às cópias é um dos pontos-chave de sua batalha contra a pirataria. A iniciativa obrigaria os eleitores a conferir os filmes candidatos nos cinemas. Mas as produtoras independentes convenceram a Justiça de que a medida diminui ainda mais as chances dos filmes de menor exposição, uma vez que sua distribuição nas salas é bem mais limitada que os arrasa-quarteirões dos grandes estúdios.A decisão do juiz Michael B. Mukasey ainda é temporária. Ele se baseou na tese de que as premiações são decisivas nas bilheterias, e portanto nos lucros das produtoras. Entendeu assim que o veto desencoraja a concorrência, contrariando a legislação antitruste. A ação movida por 14 casas independentes foi dirigida à poderosa Motion Pictures Association of America, que representa os grandes estúdios de Hollywood. Seu presidente, Jack Valenti, declarou em comunicado que vai recorrer, porque a pirataria deve ser combatida "onde quer que apareça".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.