Cinema indiano vira caso de polícia

Conhecida como Bollywood, a Hollywood de Bombaim, a indústria do cinema indiano está sob investigação da justiça do país. Ligações de produtores com a máfia vêm sendo descobertas e, nesta quarta-feira, um produtor e um investidor no cinema do país foram condenados por associação com o crime organizado.O produtor Nazim Rizvi foi condenado a seis anos de prisão. Ele foi considerado culpado por extorsão e ligação com a máfia. Já o investidor Bharat Shah foi condenado a um ano, mas como já estava há um ano preso preventivamente, foi solto pela Justiça. O caso mostra que anda a todo vapor a investigação sobre a influência do crime organizado no dia a dia de Bollywood. As condenações de hoje foram o primeiro grande golpe na conexão entre máfia e cinema na Índia.O que explica as ligações perigosas do cinema indiano é sua imensa capacidade de gerar lucros. Com produção em ritmo acelerado, a Índia produz cerca de 800 filmes por ano, número superior até ao dos Estados Unidos. O dinheiro que a indústria dos filmes movimenta no país é da ordem de 130 bilhões de rúpias, ou cerca de R$ 8 bilhões. Além disso, emprega seis milhões de pessoas. Profissionais do cinema indiano já admitiram em entrevistas que as ligações com a máfia existem e são muito freqüentes.Fora do Oscar - A maior parte dos filmes de Bollywood fica no país, mesmo porque a indústria investe em estrelas glamourosas, histórias românticas, locações exóticas e longos números de dança, o que dá aos filmes cores muito regionais. E isso parece ser uma diretriz oficial. Ontem, a BBC informou que a Federação do Cinema da Índia desistiu de escolher um candidato ao Oscar para o ano que vem. O motivo: Harmesh Malhotra, presidente da entidade, achou os filmes candidatos muito ocidentalizados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.