Cinema francês está de luto

A morte hoje em Paris do cineasta Henri Verneuil, aos 81 anos, deixou de luto a sétima arte francesa, com a perda de um mestre, que dirigiu filmes como A Vaca e o Prisioneiro, de 1959, Gângsters de Casaca, 1959, Os Sicilianos, de 1969, Os Ladrões, de 1972.Verneuil, que aos quatro anos de idade chegou com sua família a Marselha, no sul da França, vindo da Turquia, tornou-se um dos grandes expoentes do cinema popular francês.O presidente da França, Jacques Chirac rendeu homenagem ao homem que ?com seu itinerário, encarnou o sonho francês e, com sua obra magistral, escreveu uma parte da lenda do cinema?. Com a morte de Verneuil desaparece, para o primeiro ministro,Lionel Jospin, "um indiscutível mestre da grande tradição francesa do cinema popular", cujo nome é inseparável do de grandesatores, como Jean Gabin, Jean-Paul Belmondo, Alain Delon, Anthony Quinn e Henry Fonda, o que fez com que fosse chamado de ?o mais norte-americano dos cineastas franceses?.A Academia de Belas Artes lamentou a perda de "um dos maiores cineastas contemporâneos?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.