Cinema carimba 'AVISADO' em ingresso para 'Praia do Futuro' e cria polêmica nas redes sociais

Em comunicado oficial, a rede Cinépolis rebateu as informações de que estaria usando o carimbo como alerta de que o filme contém cenas de sexo homossexual

Flavia Guerra, O Estado de S. Paulo

21 Maio 2014 | 17h07

Após polêmica iniciada com a afirmação de um frequentador de que estaria alertando os frequentadores sobre as cenas de sexo homossexual de Praia do Futuro, a  rede de cinemas Cinépolis do Brasil declarou, em comunicado oficial, que a "a utilização do carimbo 'AVISADO', faz parte da política da Cinépolis para notificar o usuário, da obrigação de apresentação da carteira de estudante para comprovar o direito à meia-entrada em suas sessões." 

A declaração veio após polêmica iniciada na internet, quando o  administrador de empresas Iarlley Araujo publicou em seu perfil no Facebook e no Twitter uma foto em que o ingresso para a sessão do filme no Cinépolis de João Pessoa, na Paraíba, continha o carimbo 'Avisado'. 

De acordo com o post, o funcionário da bilheteria teria perguntado a Iarlley: "Senhor, tem certeza de que deseja ver esse filme?" "Eu disse; 'sem problemas'. Então recebi meu ingresso com esse carimbo de 'AVISADO'. Na hora fiquei surpreso e com um misto de dúvidas... Uma das é: Isso é para os desavisados e preconceituosos, não pedir o dinheiro de volta?", escreveu Iarlley. "Com relação ao filme, ele é sensível, romântico, dramático e questionante!", completou.

 

 

Sobre o fato, o Diretor de Marketing e Programação da Cinépolis do Brasil, afirmou: "O evento ocorrido pontualmente não reflete, em nenhum momento, a cultura e valores da Cinépolis Brasil e de seus complexos e não tem o objetivo de notificar o espectador sobre o conteúdo e cenas contidas nos filmes. Além disso, todas as medidas para que tal questão não ocorra no futuro foram tomadas."

Já a produção do filme, em sua página oficial do Facebook, publicou a seguinte foto:

 

Sobre a questão, o diretor Karim Aïnouz declarou em um comunicado à imprensa: "Estamos felizes com o apoio e a reação anti-homofobia vinda de todos os lados da sociedade - da imprensa, do público através das redes sociais, das redes de cinema exibidoras etc. - a manifestações pontuais mais conservadoras acerca de cenas de Praia do Futuro."

"O propósito do filme não é o debate sobre o preconceito e sim contar uma história particular. Praia do Futuro teve grande reconhecimento nacional e internacional, da crítica especializada e do público que compareceu aos cinemas no fim de semana do lançamento", acrescentou Aïnouz.

"Nosso compromisso democrático é fazer o filme ser ofertado para o máximo de pessoas possível e permitir que o público possa fazer sua escolha livremente. O Ministério da Justiça avaliou o conteúdo e o indicou como apropriado para maiores de 14 anos. Esperamos, a partir desse momento, fazer avançar o debate sobre a homofobia e promover mais tolerância e respeito às diferenças. Homofobia não é a nossa praia. A nossa praia é do futuro", completou o diretor.

Estrelado por Wagnar Moura, Praia do Futubo conta a história do salva-vidas Donato que, após se apaixonar pelo alemão Konrad (Clemens Schick), muda-se para a Alemanha, deixando para trás seu irmão Ayrton (Jesuíta Barbosa). Oito anos depois, Ayrton vai em busca do irmão em Berlim. 

Mais conteúdo sobre:
Praia do Futuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.