Cinema brasileiro toma os parques de SP

A partir de hoje, o projeto Cinema no Parque vai percorrer diversos parques municipais, com a proposta de levar ao público cinema de qualidade e gratuito. Uma parceria entre Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente e a instituição Tempo Glauber, a mostra estréia no Parque Trianon, com a exibição do clássico Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha. Hoje, às 17 horas, Jorge Mautner e Nelson Jacobina fazem show de abertura do projeto, no Trianon, interpretando músicas da trilha sonora de Deus e o Diabo. Na seqüência, às 18 horas, tem início a exibição do longa. Depois da sessão, haverá coquetel para convidados. Além de uma platéia interessada, a organização aguarda a presença da prefeita Marta Suplicy, de cineastas, jornalistas, além de Lúcia Rocha, mãe de Glauber, e de Paloma Rocha, filha do cineasta e curadora de Cinema no Parque.No dia 31 de janeiro, às 18 horas, o filme Bandido da Luz Vermelha, do cineasta Rogério Sganzerla, morto recentemente, entrará em cartaz na sessão realizada no Parque do Carmo. No mesmo dia, haverá apresentação de Roberto Luna, que interpretou músicas na trilha sonora original. No dia 7 de fevereiro, a mostra se deslocará para o Parque do Ibirapuera e exibirá Amarelo Manga, de Cláudio Assis. A programação prevê ainda os filmes São Paulo S/A, de Paulo Sérgio Person; Durval Discos, de Ana Muylaert; Terra em Transe, de Glauber (e em versão restaurada), e outros. Além das projeções, cineastas ou parentes deles serão convidados para um bate-papo com o público. Outra proposta é exibir produções criadas por estudantes de universidades no entorno dos parques.A princípio, a previsão é de que Cinema no Parque dure até maio, passando por nove parques municipais e 11 exibições, realizadas aos sábados e domingos (com exceção da estréia de hoje). Em dias de sessão, os locais se transformam em salas de cinema, com telão, platéia com 200 cadeiras e uma tenda.

Agencia Estado,

22 de janeiro de 2004 | 12h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.