Cinema asiático terá destaque em Berlim

O cinema asiático promete ser um dos pontos altos da 51.ª edição do Festival de Cinema Berlim, que acontece de 7 a 18 de fevereiro. No último ano em que Moritz de Hadeln dirige o festival, trabalho que vem desenvolvendo desde 1979, duas películas do Japão e outras da China, Tailândia e Coréia do Sul disputam o prêmio de melhor filme, e apenas três produções hollywoodianas estão entre as 23 escolhidas para concorrerem no circuito.Hadeln vai ainda incluir em sua despedida uma seleção dos 25 filmes que mais o emocionaram durante seus 22 anos de direção do festival. Entre eles está Central do Brasil (1997), de Walter Salles, El Crimen de Cuenca (1980), de Pilar Miró e Cortina de Fumaça (1994), de Wayne Wang. Nesta edição, 680 filmes de todo o mundo serão exibidos nas diferentes sessões do Festival.O festival será aberto com a exibição do filme Duell - Enemy at the Gates, uma produção alemã dirigida por Jean-Jacques Annaud, ainda inédita. O encerramento ficará por conta do clássico 2001, Uma Odisséia no Espaço, de Stanley Kubrick. O ator Kirk Douglas, de 83 anos, será homenageado com o Urso de Ouro pela sua trajetória no cinema. Será exibida ainda uma retrospectiva em sua homenagem com Spartacus, de Kubrick, entre outros filmes. Outro homenageado será o diretor Fritz Lang que dirigiu o clássico Metropolis, de 1925. O filme será exibido em três versões diferentes - uma delas em cores - com acompanhamento de piano da Orquestra Sinfônica da Rádio de Berlim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.