Cinema americano fecha balanço de verão

Termina neste fim de semana a temporada de verão no cinema americano, que não ficou muito atrás dos recordes de faturamento do ano passado, apesar de não ter nenhum super blockbuster, como Episódio 1: A Ameaça Fantasma, O Sexto Sentido e A Bruxa de Blair, todos de 1999. Nada menos do que 11 filmes passaram da marca dos US$ 100 milhões e a arrecadação geral foi apenas 3% menor do que a do verão passado. É hora de fazer um balanço do que foi exibido desde maio nas telas americanas. Boa parte dos filmes já chegou ao Brasil. Uma unanimidade de crítica e público nesta temporada foi A Fuga das Galinhas, o filme de massinhas que chegou aos US$ 97 milhões de faturamento nos Estados Unidos e deve virar em breve a animação mais lucrativa de todos os tempos não-lançada pelo estúdio Walt Disney. Concorrer com Mickey Mouse não é fácil. A Fox fechou seu estúdio de desenhos animados depois de dois sucessos de crítica e fracassos de bilheteria, Anastasia e Titan. Outro desenho animado (misturado com ação de verdade) que se deu bem neste verão foi o elogiado The Adventures of Rocky and Bullwinkle, com Robert DeNiro e Rene Russo.Invasão australiana - Da série "franquias", Missão Impossível 2 fez bonito com US$ 400 milhões arrecadados em todo o mundo. A combinação entre o nome de Tom Cruise e a técnica do diretor John Woo virou uma fórmula de sucesso. Uma nova série que chegou aos cinemas recentemente é X-Men, que já tem duas continuações previstas. A carreira de Hugh Jackman, o australiano que faz o papel de Wolverine no filme baseado na história em quadrinhos, também deve decolar. Da sede das Olimpíadas de 2000 também vem Heath Ledger, de O Patriota, que tem vários filmes prontos para chegar às telas nos próximos meses.Outro australiano que está com tudo em Hollywood é Russell Crowe, de Los Angeles, Cidade Proibida e O Informante. Ele ganhou o posto de astro por conta do sucesso mundial de Gladiador.George Clooney também passa para o time principal de Hollywood com Mar em Fúria, que, apesar de críticas não tão boas, faturou US$ 165 milhões nos cinemas da América do Norte. Mark Wahlberg é outro ator que saiu por cima do filme-catástrofe com excelentes perspectivas no cinema para o futuro. Terceira idade - Uma tendência nos cinemas é o sucesso de filmes estrelados pela terceira idade. Não apenas crianças e teens lotam as salas americanas, já que filmes como Cowboys do Espaço são hits de bilheteria. A produção tem no elenco Clint Eastwood, de 70 anos, Tommy Lee Jones, de 54, Donald Sutherland, de 65, e James Garner de 72.Outro filme do mesmo tipo é The Crew, com Burt Reynolds, de 64, e Richard Dreyfuss, de 52. A comédia estreou na América no fim de semana passado. Um vovô que passou da marca de US$ 100 milhões de faturamento foi Harrison Ford, de 58 anos, que estrelou Revelação ao lado de Michelle Pfeiffer. Filmes com elencos negros também foram um dos destaques da temporada, sobretudo as comédias. Shaft (Samuel L. Jackson), Vovó Zona (Martin Lawrence), O Professor Aloprado 2 - Família Klump (Eddie Murphy) e Scary Movie (paródia de filmes de terror, dos irmãos Wayans, que surpreendeu todo mundo ao faturar US$ 132 milhões) foram os principais filmes da onda de produções black que conquistaram o público americano. Fracasso - O maior perdedor deste verão foi John Travolta, que abriu a temporada com a bomba A Reconquista. O filme da Igreja da Cientologia (baseado no livro homônimo de seu criador, L. Ron Hubbard, de 1982) teve as piores críticas da estação e faturou apenas US$ 21 milhões nos Estados Unidos, quatro vezes menos do que custou. A carreira do ator vai sobreviver, mas ele não vai querer falar do assunto por muito tempo.Já a carreira de Demi Moore está morta e enterrada. O filme mais recente da atriz, Passion of Mind, o primeiro estrelado por ela em três anos, foi exibido em apenas 100 cinemas e faturou US$ 200 mil em seu fim de semana de estréia.Outro ex-todo-poderoso que não está em sua melhor fase é Jim Carrey. Ele não foi um fracasso total com Eu, Eu Mesmo e Irene (US$ 87 milhões), mas por um salário de US$ 25 milhões Hollywood espera muito mais faturamento e graça.Comédias adolescentes estão definitivamente por baixo. Loser, de Amy Heckerling (diretora de As Patricinhas de Beverly Hills), foi muito mal de bilheteria, para não mencionar críticas arrasadoras. Os teens americanos também já parecem estar enjoados de Freddie Prinze Jr., que manteve sua fama de o pior ator de Hollywood em Boys and Girls.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.