Netflix
Netflix

Cineasta sírio que trabalhou em filme indicado ao Oscar é impedido de viajar aos EUA

Khaled Khatib ajudou a produzir o documentário 'Os Capacetes Brancos'

EFE

25 de fevereiro de 2017 | 21h31

WASHINGTON - O governo dos Estados Unidos proibiu o cineasta sírio Khaled Khatib de entrar no país para participar da cerimônia do Oscar, neste domingo, 26, depois que, segundo um alto funcionário do governo, que pediu anonimato, ele tentou usar um passaporte falso.

"Ele foi pego usando um passaporte obtido de maneira fraudulenta. Qualquer um deve ter um documento de viagem válido para viajar aos Estados Unidos", afirmou o funcionário neste sábado à Agência EFE.

A fonte negou que Khatib tenha sido impedido de entrar nos Estados Unidos por pertencer a uma das nações mencionadas na ordem executiva sobre imigrantes e refugiados proclamada no mês passado pelo presidente, Donald Trump, e agora bloqueada pelos tribunais.

Khatib trabalhou no documentário "Os Capacetes Brancos", produzido pelo Netflix, que retrata a crueldade da guerra civil e os resgates dos Capacetes Brancos, que operam nas zonas fora do alcance do governo.

O filme competirá na categoria de melhor documentário de curta-metragem com Extremis, 4.1 Miles, Joe's Violin e Watani: My Homeland

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.