Cineasta rompe embargo ao Iraque

O diretor franco-iraquiano Amer Alwan, de 45 anos, concluiu o primeiro filme de ficção todo rodado no Iraque desde um embargo da ONU de 1991 que proíbe o ingresso no país de celulóide, matéria-prima dos filmes, por considerá-lo produto químico potencialmente perigoso. Trata-se de Zaman, l´homme des roseaux, sobre um homem que parte de um pequeno povoado em direção à capital Bagdá atrás de médicos para sua mulher."É uma história de amor no Iraque de hoje", diz Alwan, que em 2000 gravou documentários no País para uma televisão francesa. "As relações entre franceses e iraquianos no estúdio foram muito amigáveis, até porque os técnicos locais estão sem trabalho há muito tempo." As filmagens foram autorizadas pelo Ministério de Cultura de Bagdá e o resultado teve de passar pela censura do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.