Cineasta Kusturica processa escritor por difamação

O cineasta nascido em Sarajevo, Emir Kusturica, acusou um escritor montenegrino de difamação em um processo privado iniciado ontem em um corte na capital da república balcânica, Podgorica.Segundo o advogado de Kusturica, Marika Novakovic, o cineasta afirma que o escritor Andrej Nikolaidis difamou-o em um comentário de maio para a revista semanal montenegrina Monitor. No artigo, Nikolaidis disse que Kusturica apoiava as políticas bélicas do ex-presidente iugoslavo Slobodan Milosevic nos conflitos nos Bálcãs nos anos 1990. O artigo chamava Kusturica "uma estrela da mídia para a máquina da guerra de Milosevic." Nikolaidis também alegou que Kusturica estava do lado "dos assassinos e não das vítimas", disse o advogado do diretor.Kusturica deixou a Bósnia antes do início da guerra étnica que assolou a região de 1992 a 1995, e se auto-exilou na vizinha Sérvia, a república dominante na então Iugoslávia. "Essas mentiras prejudicam a reputação e a honra do meu cliente", disse Novakovic na corte de Podgorica.Nikolaidis ignorou a acusação, dizendo que não se tratava de um "assunto legal, mas de uma diferença de opinião", e que havia escrito o artigo como comentário de um outro publicado na França citando a posição pró-Milosevic do cineasta. "Kusturica se mostrou publicamente como aliado dos vilões de guerra na Bósnia", disse Nikolaidis para a AP, citando como prova fotografias de Kusturica com parceiros de Milosevic e fundos de Belgrado para seu filme premiado em Cannes, Underground. "Agora ele está lavando as mãos em relação a seu trabalho passado", ele disse. O caso vai à corte no próximo mês, quando um veredito será anunciado. Kusturica também processou a revista Monitor.Underground, o filme de Kusturica sobre a guerra da ex-Iugoslávia, deu-lhe o status de celebridade do cinema quando venceu o prêmio principal em Cannes, a Palma de Ouro, em 1995.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.