Cineasta iraniana é presa por "atividade antiislâmica"

O Tribunal Revolucionárioconfirmou hoje a prisão da cineasta Tahmineh Milani. Ela foidetida na segunda-feira acusada de atividadescontra-revolucionárias devido ao conteúdo de seu último filme. A Metade Oculta narra a história de umamulher casada que recorda sua intensa paixão por um opositorda revolução islâmica de 1979.O filme foi acusado de propagar um sentimento desimpatia pelos grupos de oposição, que, conforme asentença, "entraram em guerra contra Deus". A cineasta tambémé acusada de ser simpática ao marxismo.A prisão de Milani confirma a predominância da linhadura no Judiciário e contraria as tendências reformistas deboa parte da sociedade iraniana que, ao reeleger o presidenteMohammad Khatami, indicou suas expectativas por mudanças. A detenção da cineasta provocou fortes protestos dosreformistas. De um ano para cá, dezenas de ativistas liberaisforam detidos e pelo menos uma dezena de jornais progressistasforam fechados.

Agencia Estado,

31 de agosto de 2001 | 19h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.