Cineasta chinês que foi a Cannes sem permissão é punido

O cineasta chinês Lou Ye e sua produtora, Nai An, candidatos à Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes pelo filme "Summer Palace", foram proibidos de filmar na China durante os próximos cinco anos por terem participado do festival sem a permissão do governo. Segundo a agência oficial "Xinhua", Lou compareceu ao festival francês em maio, onde estreou seu filme "sem a permissão da Administração Estatal de Rádio, Cinema e Televisão". A decisão foi tomada pelo órgão no dia 1.º de setembro."Summer Palace" foi o único filme asiático a participar da principal competição de Cannes este ano. O longa conta a história da complexa relação de um casal de estudantes durante as revoltas de 1989, que acabaram com o massacre de estudantes na Praça da Paz Celestial, em Pequim.O diretor disse em Cannes que estava disposto a fazer modificações no roteiro para que as autoridades permitissem a exibição do filme na China. Sem normas escritas para que possam se orientar, os diretores enfrentam dificuldades para driblar o processo de censura chinês.Dentre os 20 filmes estrangeiros que estréiam a cada ano na China, este ano três deles já foram vetados ou sofreram cortes pela censura por motivos políticos ("Memórias de uma Gueixa" e "O Código Da Vinci") ou pela imagem que oferecem da China ("Missão Impossível 3").

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.