Cineasta assassinado participou de três mostras em SP

A polícia alemã prendeu oito radicais islâmicos suspeitos de envolvimento no assassinato do cineasta holandês Theo van Gogh, um nome conhecido do público da Mostra de Cinema que se realiza em São Paulo, envento do qual participou em três oportunidades. Este ano, um dos episódios do filme coletivo sobre São Paulo é assinado por Theo van Gogh. Em Amsterdã, os oito suspeitos do crime foram detidos 24 horas depois da morte de Van Gogh em uma rua de Amsterdã. Segundo o porta-voz da polícia Dop Kruimel, seis dos detidos eram originários do Marrocos, um da Argélia e outro tem dupla nacionalidade Espanha-Marrocos, conforme disse Kruimel à AP. Kruimel disse que os suspeitos, cujas identidades não foram divulgadas, já vinham sendo investigados como potenciais terroristas desde outubro de 2003. Mostra BR de Cinema - Em São Paulo, o assassinato do cineasta holandês Theo Van Gogh, de 47 anos, deixou os freqüentadores da Mostra SP estarrecidos. Afinal, ele era nome conhecido na programação do evento. Participou da 13.ª edição, com o filme Loos; da 20.ª com 06, e da 21.ª com Encontro Cego. Este ano, ele assina um dos 25 episódios de Visões da Europa, produção coletiva que soma nomes como Aki Kaurismaki, Tony Gatlif, Peter Greenaway, Francesca Comencini e Tereza Villaverde. O episódio de Van Gogh intitula-se Euroquiz e mostra um programa de perguntas (sobre o tema Europa). A moderadora do quizshow é norte-americana. E foi orientada a ouvir uma pequena história do concorrente. Só que Rose, a moça sabatinada, começa a contar uma história especial, que toma todo o tempo da narrativa (e do programa). Leon Cakoff, organizador da Mostra de São Paulo, lamentou a morte do cineasta holandês lembrando que ele foi um incansável defensor da liberdade de expressão e manifestação do pensamento?.

Agencia Estado,

03 de novembro de 2004 | 15h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.