Cine Ceará vira ibero-americano e divulga selecionados

O Cine Ceará divulgou hoje a lista de longas e curtas-metragens selecionados para sua 16.ª edição, que ocorre entre 31 de maio e 8 de junho, em Fortaleza. O festival passa agora a ser ibero-americano - dos 93 longas inscritos, 56 são de países ibero-americanos e 37 são brasileiros.Na edição passada, o prêmio de melhor filme do festival ficou com A Pessoa É Para o Que Nasce, de Roberto Berliner, um documentários sobre três irmãs cegas, que ganham a vida tocando ganzá e cantando coco e embolada em troca de esmolas nas cidades e feiras do Nordeste brasileiro. A disputa foi acirrada, por que um dos favoritos era o filme Quanto Vale ou É por Quilo?, de Sérgio Bianchi, que levou cinco prêmios: roteiro, direção de arte, montagem ator (Lázaro Ramos) e atriz coadjuvante (Ariclê Perez).Desta vez, a mostra competitiva terá 11 filmes. As Tentações do Irmão Sebastião, do cearense José Araújo, abre a programação, que terá ainda Agostinho da Silva - Um Pensamento Vivo, do baiano João Rodrigo Mattos e produções da Argentina, México, Espanha, Equador, Venezuela, Chile, Portugal, Peru e Cuba. A seleção foi feita por uma comissão coordenada pela curadora Patricia Martín, representante no Brasil da Escuela Internacional de Cine y TV de San Antonio de los Baños, de Cuba, pelo cineasta cearense e diretor da Casa Amarela Eusélio Oliveira, Wolney Oliveira, e pela cineasta e produtora Patrícia Baía.Um festival político ?Completamos 15 anos de festival e resolvemos criar um diferencial a mais. O Cine Ceará é considerado o mais político de todos os festivais brasileiros, com o objetivo de defender o cinema nacional e a descentralização dos recursos. E neste momento, quando está havendo um redesenho político na América Latina é fundamental a aproximação entre o nosso cinema e o cinema latino?, explica Wolney Oliveira, formado em cinema pela Escuela de San Antonio de los Baños, que comemora 20 anos de fundação.O prêmio para o melhor longa é de US$ 10 mil, e ainda haverá a distribuição do Troféu Eusélio Oliveira nas categorias de direção, fotografia, edição, roteiro, trilha sonora original, som, direção de arte, ator e atriz. Apesar de ter diminuído a participação brasileira na mostra competitiva - afinal, os filmes nacionais concorrem agora em pé de igualdade com as produções ibero-americanas -, o Cine Ceará vai abrigar uma série de pré-estréias. ?Haverá ainda uma mostra da Globo Filmes, com sete longas da produtora que estão entre os maiores sucessos da nossa bilheteria?, conta Oliveira. ?Dessa forma, ampliamos a participação do cinema nacional, ao mesmo tempo em que pusemos os nossos filmes para competir pelo prêmio com os estrangeiros, já que o nosso cinema tem plenas condições para isso.?Na mostra em curta-metragem estão 26 filmes, escolhidos entre os 350 inscritos. Nesse caso, todas as produções são nacionais - 12 ficções, 9 documentários, 4 animações e um vídeo experimental - e competem por troféus em diversas categorias e prêmios em dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.