Sony
Sony

Christopher Plummer leva charme a 'Todo o Dinheiro do Mundo' substituindo Kevin Spacey

Longa dramatiza o sequestro de John Paul Getty III na Itália e a recusa de seu avô a pagar o resgate

Jill Serjeant, Reuters

19 Dezembro 2017 | 12h40

Quando o diretor Ridley Scott decidiu retirar Kevin Spacey de seu filme Todo o Dinheiro do Mundo e gravá-lo novamente com Christopher Plummer, ele não realizou somente um feito extraordinário.

A atuação de Plummer no papel do bilionário norte-americano J. Paul Getty também mudou sutilmente o tom do filme sobre o sequestro sensacional do neto de 16 anos de Getty em 1973.

“Kevin tem uma certa frieza. É o estilo dele, mesmo quando está sendo emotivo”, disse Scott em entrevista.

“Este homem (Plummer) tem um charme enorme, e quando você aplica este charme a tais palavras, às vezes muito duras, torna tudo muito mais interessante.”

Parte biografia e parte suspense, Todo o Dinheiro do Mundo dramatiza o sequestro de John Paul Getty III na Itália e a recusa de seu avô a pagar um resgate de 17 milhões de dólares, apesar de ser o homem mais rico do mundo.

Em novembro, Scott tomou a rara decisão de gravar novamente o filme já finalizado com Plummer devido às alegações de assédio sexual feitas contra Spacey, dizendo temer que a publicidade negativa prejudicasse as perspectivas da produção.

Spacey emitiu um pedido de desculpas após o primeiro incidente relatado, envolvendo o ator Anthony Rapp. Desde então, o ator foi acusado de assédio sexual por mais de 30 homens e foi retirado da próxima temporada da série “House of Cards”, do Netflix.

A Reuters não conseguiu verificar as alegações contra Spacey. O ator vencedor do Oscar está passando por um tratamento não especificado e, na segunda-feira, um representante não respondeu a um pedido por comentários.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.