China torna mais rígidas medidas contra erotismo no cinema

Segundo as normas, atores e diretores que participarem destes filmes podem ficar até 5 anos sem trabalhar

Efe,

07 de dezembro de 2031 | 11h20

A Administração Estatal de Rádio, Cinema e Televisão da China emitiu uma norma na qual torna mais rígidas as medidas contra o erotismo no cinema e ameaça os estúdios nacionais com a revogação de suas licenças se produzirem filmes com conteúdo sexual, informou nesta segunda-feira, 31, a agência estatal Xinhua. A nova norma proíbe diretores e atores de participarem dos filmes, que não poderão ser exibidos em festivais de cinema no país. A Administração prevê penas de até cinco anos de inabilitação aos que participarem deste tipo de filme. Também se pede aos estúdios que "não produzam filmes com atividades sexuais, cenas de estupro ou prostituição, e exposição obscena de genitais". A norma restringe ainda a aparição nos filmes de conversas vulgares, "canções sujas e certos efeitos de som".

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaErotismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.