China proíbe TV de mostrar conquista de Ang Lee no Oscar

O Governo chinês proibiu a televisão estatal de informar sobre o Oscar de melhor diretor concedido ao taiuanês Ang Lee pelo filme O Segredo de Brokeback Mountain, informou hoje à EFE um jornalista do canal."Não se pode falar do filme, é uma proibição enviada há mais de um mês e que hoje reiteraram por causa do Oscar", declarou hoje um jornalista da Televisão Central da China (CCTV), que pediu para não ser identificado.A diretora do canal justificou a proibição com o argumento de que "a sociedade chinesa não está preparada para lidar com esse tema", referindo-se ao homossexualismo dos dois protagonistas, segundo a fonte.Embora o site em mandarim da CCTV tenha em sua manchete o Oscar de Lee, nenhum de seus canais, assim como a agência oficial Xinhua, deram a notícia hoje, exceto o canal CCTV-6, que transmitiu a cerimônia ao vivo, embora não tenha transmitido nenhuma imagem do filme de Lee.O departamento de edição, os centros de Notícias e de Ultramar da CCTV e os funcionários da CCTV-6 se negaram a confirmar à EFE esta proibição.No fim de janeiro, um responsável da China Film Group, única instituição autorizada a aprovar filmes no país asiático, afirmou ao jornal Shenzhen Daily que o filme de Lee não seria exibido em nenhum dos 1300 cinemas existentes na China. "Isto se deve ao conteúdo sensível: amor entre homossexuais. O fato de ter recebido prêmios internacionais não significa que sua bilheteria será muito grande na China", justificou o responsável, que também pediu para não ser identificado. Um responsável da "China Film Group" contatado pela EFE também se negou a fazer comentários sobre o Oscar.O Segredo de Brokeback Mountain, adaptação do romance vencedor do prêmio Pulitzer Annie Proulx, recria a história de amor entre dois caubóis em Wyoming, nos Estados Unidos. No Oscar, o filme recebeu as estatuetas de melhor diretor, melhor trilha sonora original e melhor roteiro adaptado.Trata-se da segunda vez em dois meses que Pequim proíbe uma superprodução por seu conteúdo, já que em dezembro vetou a exibição de Memórias de uma Gueixa, protagonizada por duas importantes atrizes chinesas que interpretam gueixas japonesas. Memórias de uma Gueixa também foi premiado neste domingo à noite, com os Oscars de melhor figurino, melhor direção de arte e melhor fotografia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.