China pode proibir veiculação de "Brokeback Mountain"

O filme O segredo de BrokebackMountain, do diretor taiuanês Ang Lee, pode não obter a permissão para ser exibido nos cinemas chineses por retratar a história de um casal de homossexuais, informou hoje o jornal Shenzhen Daily."Deve-se ao fato de que o conteúdo é sensível: o amor entre homossexuais", assinalou uma fonte do China Film Group, a única instituição autorizada a importar filmes estrangeiros na China, onde a cada ano 20 destes podem ser exibidos nos cinemas, a maioria de caráter comercial.O filme, adaptação de um romance de Annie Proulx vencedor do Pulitzer, recria a história de dois caubóis gays em Wyoming (Heath Ledger e Jake Gyllenhaal) e já foi premiado no Festival de Cinema de Veneza e com um Globo de Ouro da Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood, o que o coloca como um dos favoritos ao Oscar.Embora a sociedade chinesa seja cada vez mais tolerante, o homossexualismo estava na lista oficial de "doenças mentais" da Associação China de Psiquiatria até 2001."O fato de que tenha recebido estes prêmios internacionais não significa que a bilheteria será muito grande na China", afirmou a fonte.A fita já criou polêmica nos Estados Unidos, onde sua exibição foi proibida em um cinema de Utah propriedade de um mórmon, uma comunidade que gastou milhões de dólares em uma campanha contra os casamentos homossexuais.Lee também é diretor do aclamado longa O banquete de casamentoO Tigre e o Dragão (2000), que ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2001.O Segredo de Brokeback Mountain é o segundo filme estrangeiro a sofrer censura na China por causa de seu conteúdo no último ano.Nesta semana se soube que também não será exibida na China a superprodução Memórias de uma Gueixa, co-produzida pela Columbia Pictures e Steven Spielberg, em que as duas atrizes chinesas mais famosas interpretam gueixas japonesas, devido às fortes tensões políticas com o país vizinho.Para serem exibidos na China, os filmes precisam ser aprovados pela Administração Estatal de Rádio, Cinema e Televisão, e a aprovação da realização de cópias digitais em DVD depende do Ministério da Cultura.No entanto, com a pirataria, já é possível conseguir cópias dos dois filmes, inclusive antes de sua projeção, assim como dos filmes nacionais que foram censurados no cinema.O cinema na China é caro e conta com apenas 10.655 salas para uma população de 1,3 bilhão de habitantes, a maioria delas de baixa qualidade, enquanto os filmes de Hollywood costumam chegar antes de sua estréia em DVDs piratas que custam US$ 1 cada um.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.