"Chicago" é consagrado por atores

O musical Chicago deu mais um passo na sua caminhada rumo ao Oscar neste domingo, ao conquistar os principais troféus do Screen Actors Guild (SAG) Awards, o prêmio anual conferido pelo sindicatos dos atores de cinema e TV dos Estados Unidos. A produção levou os prêmios de melhor elenco (categoria que só existe no SAG), melhor atriz para Renée Zellweger e atriz coadjuvante para Catherine Zeta-Jones. Chicago estreou no Brasil no fim de semana. Esta é a última consagração de Chicago antes do Oscar, marcado para o próximo dia 23, quando o musical concorrerá em 13 categorias, entre as quais as mais importantes. De alguns meses para cá, uma sucessão de prêmios tem confirmado o favoritismo do filme. Chicago ganhou o Globo de Ouro de melhor comédia musical e seu diretor, o estreante Rob Marshall, foi eleito por seus colegas como o melhor do ano e ficou com o prêmio máximo do sindicato dos diretores dos Estados Unidos. Pelo menos um outro forte concorrente ao Oscar saiu-se bem no SAG Awards. Foi o impecável Daniel Day-Lewis, o Bill The Butcher de Gangues de Nova York. Ele deixou para trás Richard Gere, de Chicago, e embolsou o prêmio de melhor ator. Já para ator coadjuvante, venceu Christopher Walken, que faz o pai do jovem vigarista Frank Abagnale Jr., de Prenda-me Se For Capaz.O SAG está em sua nona edição. Reconhecimento do trabalho dos atores, o prêmio tem sido um bom indício do que pode acontecer na cerimônia do Oscar. Nos últimos oito anos, 12 dos 16 atores e atrizes principais que venceram no SAG saíram da noite do Oscar com suas estatuetas douradas. Isso aconteceu no ano passado, por exemplo, com Halle Berry. Conferidos os prêmios e aumentadas as taxas de ansiedade pelo Oscar, as estrelas de Hollywood se esbaldaram em agradecimentos, entrevistas, declarações. Tanto os vencedores como os que saíram de mão vazia. Richard Gere, por exemplo, fez uma cândida confissão sobre seu conhecimento da profissão que escolheu: "Não sabia muito bem o que significava ser ator até este trabalho e acho que todos nós do elenco sentimos a mesma coisa." Ele subiu ao palco para receber o prêmio de melhor elenco, vencido por Chicago. Um agradecimento mais sóbrio veio do vencedor Day-Lewis. O irlandês, que faz o papel de um nativista americano que luta contra a imigração irlandesa para Nova York no século 19, lembrou do início de sua carreira. ?Quando comecei, éramos levados a acreditar que nosso futuros, se tivéssemos a sorte de trabalhar, seria no teatro?. Nostálgico, Day-Lewis lembrou de suas maratonas noturnas assitindo filmes, quando era um ator iniciante. O ator, e também diretor, Clint Eastwood, recebeu o prêmio SAG pelo conjunto de sua obra. Sua carreira começou em 1959, num programa de TV, mas poucos anos depois ele entrou para o mundo cinematográfico para não mais sair. De 1971 até hoje, ele dirigiu 24 filmes, na maioria dos quais também atuou. Entre eles estão o badalado As Pontes de Madison (1995) e Os Imperdoáveis, de 1992, que lhe rendeu os Oscar de melhor filme e diretor. Como bom ganhador de prêmios, Eastwood agradeceu com uma tirada de humor: ?Espero que isso não signifique que eu deva pedir minha aposentadoria, isso não é para mim?, disse. TV - Na área de TV, os destaques de séries dramáticas foram James Gandolfini e Edie Falco, de Família Soprano, que levaram os prêmios de melhor ator e atriz. Um dos assuntos que virou piada na cerimônia foi a ação na Justiça que Gandolfini moveu contra o canal de TV por assinatura HBO na semana passada. O ator pretende quebrar seu contrato se não conseguir um substancial aumento de salário para trabalhar no programa. Mas mostrou bom humor ao agradecer ao HBO: ?É um excelente local de trabalho?.

Agencia Estado,

10 de março de 2003 | 12h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.